Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

O ano em 17 imagens

Veja as melhores fotos do que aconteceu no mundo este ano.

Com a chegada do final de 2014, o Expresso selecionou as melhores fotografias do ano. Em 17  imagens relembram-se os cenários de destruição na Síria, a revolta pró-democracia em Hong Kong, os imigrantes refugiados, e o Prémio Nobel da Paz, entre outros. Venha connosco nesta viagem. EMIGRAÇÃO

FOTO MASSIMO SESTINI/EYEVINE

É a foto escolhida para começar este périplo. Do Egito para Malta, mais de uma centena de homens, mulheres e crianças tentam fazer a perigosa travessia num barco sem as mínimas condições de segurança em busca de uma nova vida fora de África. É a Europa versão quimera. Este ano, o sonho levou mais de 200 mil pessoas a arriscarem tudo para tentarem entrar em território europeu, tendo a viagem custado a vida a mais de 3000.

 

PAPA FRANCISCO  

FOTO AFP

Nas comemorações do Dia de Reis, em Roma, o Papa Francisco confraterniza com os crentes enquanto carrega um borrego aos ombros. A imagem surge depois de uma mensagem deixada pelo Papa no ano anterior aos sacerdotes da sua diocese, na qual lhes solicitou que fossem "pastores com o cheiro de ovelhas, pastores no meio do seu rebanho, e pescadores de homens". Este foi mais um ano em grande para o Papa Francisco, figura recorrente nas eleições para personalidade do ano em todo o mundo.  

 

PROTESTOS  

FOTO MIGUEL GUTIERREZ/EPA

Liberdade é a palavra de ordem. Desde fevereiro que a Venezuela é palco de violentos confrontos entre forças do governo e manifestantes que provocaram centenas de mortos, feridos, presos e torturados. Os protestos contra o governo de Nicolas Maduro, o sucessor de Chávez desde Março do ano passado, têm como base a grave crise que o país enfrenta, que envolve, entre outros fatores, inflação alta, escassez crónica de produtos básicos, altos níveis de criminalidade, e ainda violações dos direitos humanos.   

 

CONFRONTOS

FOTO OLGA YAKIMOVICH/REUTERS

A revolução ucraniana de 2014 iniciou-se com as manifestações em Kiev, como parte de uma série de protestos de oposição ao governo de Ianukovich. Na noite de 18 de Fevereiro, a polícia tentou expulsar os manifestantes da Praça da Independência recorrendo à força. No dia seguinte, quando a fotografia foi tirada, contaram-se 26 mortes e mais de uma centena de feridos. O conflito acabou por intensificar-se levando à queda do Presidente, e instalando-se um novo governo de substituição pouco tempo depois. Mas a situação ainda piorou com a crise da Crimeia, quando as tropas russas assumiram o controlo dessa região, o que fez com que os conflitos não cessassem. Foi um ano quente no leste da Europa.

 

TERRA

FOTO FILIPE TRUEBA/EPA

Que a natureza é imprevisível, já sabíamos. Que a Terra consegue comunicar connosco, também já sabíamos. Mas até que ponto esta comunicação não se torna num desastre avassalador? Nesta foto, dois homens passam ao lado de uma fenda na estrada que liga as localidades de Iquique e Alto Hospicio, no Chile, dia 3 de abril de 2014. Fortes tremores foram sentidos durante o mês de abril, tendo o sismo mais forte atingido 8,2 na escala de Richter. Do sismo resultaram seis vítimas mortais. Um alerta de tsunami foi lançado depois do grande abalo, acabando por não ser verificar. A imprevisibilidade pode ser, de facto, espantosa.   

 

INCÊNDIO

FOTO DENNIS M. SABANGAN/EPA

O relação entre mãe e filho/os ultrapassa qualquer tipo de entendimento, muito mais quando os mais frágeis correm perigo. Dia 29 de abril, na favela de Manila, nas Filipinas, um incêndio destruiu a casa desta mãe, que transporta nos braços os seus filhos, numa visível agonia. O corpo de bombeiros de Manila declarou que o fogo deixou mais de 30 famílias desalojadas e três pessoas ficaram feridas. 

 

 

FUTEBOL

FOTO ROBERT GHEMENT/EPA

Num país que respira futebol, esta foto simboliza uma nação derrotada, em pleno Mundial de futebol, sob o peso de sete golos. Fernandinho, jogador da selecção nacional do Brasil, agarra-se cabisbaixo às redes da sua baliza depois de um golo de Toni Kroos, da seleção da Alemanha, durante o jogo da semi-final da Copa do Mundo de 2014, entre o Brasil e a Alemanha, no Estádio do Mineirão, em Belo Horizonte, dia 8 de julho de 2014. A Alemanha ganhou e depois seria consagrada campeã do mundo.

ÉBOLA

FOTO KENZO TRIBOUILLARD/AFP PHOTO

É de louvar os riscos a que se sujeitam os profissionais de saúde que, ao tentarem salvar vidas, metem a própria em risco. Nesta foto, uma equipa médica usa roupas de proteção para ajudar um paciente com suspeitas de ébola a ser transportado para um centro de tratamento da Cruz Vermelha Francesa, em Patrice, na Guiné-Conacri, dia 21 de novembro de 2014. Segundo a Organização Mundial de Saúde, 5420 pessoas morreram de ébola, num total de 15.145 casos de infeção, desde o final de dezembro de 2013.   

 

PODER DO POVO

FOTO ISSOUF SANOGO/AFP PHOTO

E porque a justiça também se faz na rua, as mãos negras fechadas erguem-se novamente. Manifestantes de Burkina Faso, África, usam um escudo policial, à frente do Parlamento, dia 30 de outubro de 2014. Centenas de manifestantes invadiram o parlamento antes de lhe pegarem fogo, num protesto contra a política seguida há 27 anos pelo Presidente Blaise Compaore. A polícia usou gás lacrimogéneo para tentar impedir os manifestantes de entrarem no edifício da Assembleia Nacional, contudo, estes não baixaram os braços. 

DANÇA POR ESCOLHAS SAUDÁVEIS  

FOTO MARCO LONGARI/AFP PHOTO

Há que começar cedo a consolidar a ideia de mente sã e corpo são. Para tal, uma bailarina dança numa sala de aula da escola primária de Soweto, África do Sul, dia 16 de outubro de 2014, de modo a promover escolhas e hábitos saudáveis. Num país ainda em desenvolvimento e com enormes assimetrias, a Joburg Ballet fornece demonstrações gratuitas de dança em 20 escolas. 

 

VIDAS SUSPENSAS

FOTO BARAA AL-HALABI/AFP PHOTO

A Síria tem sido palco dos cenários mais negros dos últimos tempos - mais de 200.000 mortos em quase quatro anos. Desde protestos violentos, violações aos direitos humanos, armas químicas, rebeldes e ascensão de grupos islâmicos, à crise humanitária. Nesta foto, um homem transporta nos braços uma criança ferida num ataque à bomba no distrito de Kallaseh, norte da cidade de Aleppo, Síria, dia 3 de junho de 2014. Cerca de 2000 civis, incluindo mais de 500 crianças, foram mortas em ataques aéreos do regime, em áreas controladas por rebeldes.

 

HONG KONG

FOTO XAUME OLLEROS/AFP PHOTO

Hong Kong vive dias de tensão. O movimento "Occupy Central with Love and Peace" prega a desobediência civil, em defesa da democracia. Os ativistas pedem a reforma política e eleições democráticas. Nesta foto, um manifestante pró-democracia ergue guarda-chuvas depois de a polícia lançar gás lacrimogéneo em direção dos manifestantes, perto da sede do governo de Hong Kong, dia 28 de setembro de 2014. Os jovens de Hong Kong manifestaram-se por mais democracia nas ruas da cidade, mostrando indignação, armados de guarda-chuvas e smartphones.

 

NOBEL DA PAZ  

FOTO OLI SCARFF/AFP PHOTO

Malala Yousufzai tornou-se conhecida pela defesa do direito universal à educação (nomeadamente das raparigas e mulheres) em todo o mundo. Em 2012, a paquistanesa foi alvo de um atentado por um grupo de talibans que controlavam a região paquistanesa onde vivia. Malala sobreviveu e tornou-se uma das maiores vozes na área dos direitos das crianças à educação. Depois da conferência em Birmingham, Inglaterra, dia 10 de outubro de 2014, ativistas dos direitos paquistaneses surpreendem Malala com flores. A mais jovem vencedora do Prémio Nobel da Paz declarou que estava "honrada" por ser a pessoa mais jovem a receber o prémio, dedicando-o aos que "não têm voz".    

 

NAUFRÁGIO 

FOTO MAX ROSSI/REUTERS

Uma gaivota voa sobre o Costa Concordia durante a operação Parbuckling, que tinha como objetivo recuperar do fundo do mar os destroços do cruzeiro que naufragou em Janeiro de 2012 junto à costa da Isola del Giglio, na região da Toscana, depois de embater contra rochas subaquáticas. O desastre resultou em 32 mortes, apesar de dois corpos continuarem desaparecidos. O navio de mais de 114 mil toneladas e 300 metros de comprimento foi retirado do fundo do mar e colocado numa plataforma assente em 21 pilares que ajudou a suportá-lo durante a operação.   

 

AFEGANISTÃO   

FOTO MOHAMMAD ISMAIL/ REUTERS

O deslizamento das terras que ocorreu em Argo, na província de Badakhshan, levou a que mais de 700 famílias fossem desalojadas, 300 casas ficassem soterradas e 2.500 pessoas morressem. Algumas das casas ficaram enterradas a mais a 50 metros da superfície, e três dias após o acidente o governo do Afeganistão ainda não tinha tomado providências para os desalojados. 

PRESENTE ENVENENADO

FOTO ANATOLY MALTSEV/EPA

Durante um comício de protesto contra as ações militares russas na Crimeia, em São Petersburgo, na Rússia, um ativista utiliza uma máscara com a cara do Presidente russo Putin enquanto mostra uma maçã vermelha, numa analogia com a bruxa má do conto infantil Branca de Neve, como símbolo de um presente envenenado.    

 

ESPANHA

FOTO JESUS BLASCO DE AVELLANEDA/REUTERS

Começámos esta viagem com imigração ilegal. E é com imigração ilegal que terminamos. Um imigrante africano fica preso no topo da cerca de arame farpado que separa Marrocos da região espanhola de Melilla. Desde o início do ano que foram denunciadas cerca de 70 tentativas de entrada no território espanhol, a partir do muro que separa os dois territórios. No ano que foi tido como o pior da crise migratória na região autónoma, mais de duas mil pessoas conseguiram entrar na região espanhola.