Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Nova isenção da taxa ao Benfica "vai ser decidida no máximo em dois meses"

  • 333

FOTO GETTY

Líder socialista da assembleia municipal propõe que o Benfica pague 447 mil euros imediatamente e admite que as novas isenções cheguem aos 1,9 milhões de euros. A bola agora está do lado de António Costa, que não deverá demorar mais de dois meses a fazer nova proposta

Rui Gustavo

Rui Gustavo

Editor de Sociedade

A Câmara de Lisboa decidiu esta segunda-feira retirar a proposta para isenção de pagamento de taxas municipais do Benfica. A proposta vai ser reformulada pela presidência do município, acatando assim as recomendações da assembleia municipal, (AM) que pediu "uma nova formulação" e a "fundamentação da isenção".

A notícia da agência Lusa é confirmada ao Expresso por Rui Paulo Figueiredo, líder socialista da AM e um dos autores da proposta de reformulação. "Eu e o meu colega Sérgio do Azevedo, do PSD, fizemos uma série de recomendações práticas que esperamos que venham agora a ser adotadas pelo presidente." De acordo com Rui Paulo Figueiredo, o presidente António Costa "deverá demorar um, no máximo dois meses", a fazer uma nova proposta de isenção das taxas que, se seguir as recomendações da AM, "fará com que o Benfica pague de imediato 447 mil euros e fique com uma isenção no valor de 1,9 milhões de euros, caso não construa mais área comercial".

A recomendação de Rui Paulo Figueiredo e Sérgio Azevedo prevê que o Benfica tenha de pagar taxas pelas áreas ocupadas com fins comerciais, como o do espaço onde está instalada a loja do Benfica ou o MediaMarkt, e que fique isento nas restantes áreas, como a do Museu, dos campos de treino ou da Fundação Benfica.

Numa fase inicial, o Benfica pediu isenção total das taxas municipais, mas a presidente da AM, Helena Roseta, opôs-se, calculando que as isenções ao Benfica chegariam aos 4,6 milhões de euros. Esta tese foi negada pelo vereador do Urbanismo, Manuel Salgado, que calculou o valor da isenção em 1,2 milhões de euros.

Contactada pelo Expresso, uma fonte oficial do Benfica disse que o clube só irá reagir "quando for tomada uma decisão definitiva sobre o assunto".