Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Nova estrutura da RTP altera todas as direções de informação e programas

  • 333

FOTO JOSÉ VENTURA

José Manuel Portugal, Fausto Coutinho, Luís Marinho, Elíseo Oliveira e Hugo Andrade vão deixar direções que atualmente ocupam nas áreas de informação e conteúdos da RTP. Nova organização será apresentada esta sexta-feira ao conselho geral independente. Se for aprovada, os nomes dos novos diretores serão depois enviados para aprovação da ERC.

Direção de informação da RTP, direção de informação da Antena 1, direção de programas da RTP, direção da RTP2 e direção de estratégia de grelha. De uma só vez, todos os cargos de topo do canal público nas áreas da informação e dos conteúdos vão ser alterados. Mais do que uma dança de nomes, este é o resultado de uma alteração completa na estrutura e organização da empresa, suscitada pela nova administração presidida por Gonçalo Reis.

O novo organograma da empresa será apresentado esta sexta-feira de manhã ao Conselho Geral Independente (CGI) e deverá contemplar um novo modelo de direções e de coordenação entre as áreas de informação e programação. Se o documento for aprovado pelo CGI - a quem compete avaliar apenas o novo modelo e não as escolhas de diretores -, os novos nomes propostos para as direções serão de seguida enviados para aprovação da Entidade Reguladora para a Comunicação Social (ERC), de acordo com o que estipula a lei.

O novo modelo de organização da RTP já levou a administração da RTP a informar pessoalmente todos os diretores em funções da sua iminente saída do cargo: José Manuel Portugal vai deixar a direção de informação da RTP, Fausto Coutinho sai da direção de informação da rádio, Hugo Andrade abandona a direção de programas da RTP, Luís Marinho sairá da direção de estratégia de grelha e Elíseo Oliveira antecipará o fim do seu mandato à frente da RTP2. A ideia é que estes profissionais se mantenham nos quadros da RTP, mas com outras funções.

Os pedidos de exoneração dos atuais diretores deverão ser formalmente encaminhados para a ERC esta sexta-feira, em simultâneo com o pedido de aprovação dos novos nomes propostos para as direções da estação pública. A expectativa é que este processo fique fechado no início da próxima semana e que as novas direções e estrutura de funcionamento comecem a trabalhar ainda este mês.

Depois de ter sido indigitada em fevereiro e de ter formalizado na semana passada a assinatura do novo contrato de concessão, a nova administração da RTP - que, além de Gonçalo Reis na presidência, integra ainda Nuno Artur Silva como administrador com o pelouro dos conteúdos e Cristina Vaz Tomé com o pelouro financeiro - assume assim o primeiro grande processo de transformação interno.

O novo organograma resulta de um levantamento feito pelo novo conselho de administração nas várias áreas e atividades da empresa durante as suas primeiras semanas em funções. Um processo que visou adaptar o funcionamento da empresa ao plano estratégico da nova administração para o futuro da RTP.