Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Nave espacial russa pode cair a qualquer momento

  • 333

Momento da partida da nave russa Soyuz, desde o cosmódromo de Baikonur, no Cazaquistão. Pouco depois, os técnicos russo perderam-lhe o rasto

Roscosmos/EPA

Uma nave de carga não tripulada da Rússia que tinha como destino a Estação Espacial Internacional ficou fora de controlo por parte das equipas de terra pouco depois do seu lançamento, esta terça-feira. 

Não se sabe onde nem quando vai acontecer, mas pelo menos parte do foguetão Soyuz está a cair em direção à Terra. A nave não tripulada Progress M-27M, lançada esta terça-feira pelo foguetão, desde o cosmódromo de Baikonur, no Cazaquistão, transportava combustível e mantimentos para os elementos da Estação Espacial Internacional. 

Segundo fonte desconhecida citada pela agência France Press, o destroço do Soyuz está a cair de forma descontrolada e estará a voar a cerca de 418 quilómetros acima do planeta.

Pouco depois do lançamento as equipas de terra da Roscosmos, a agência espacial russa, deixaram de ter a nave sob seu controlo. Apesar de várias tentativas, até agora não foi possível restabelecer as comunicações. Originalmente, estava previsto que a nave chegasse ao destino seis horas depois de ter deixado a Terra.

A agência espacial russa continua a tentar interagir com a Progress M-27M, mas se não for bem-sucedida a qualquer momento a nave pode entrar na atmosfera terrestre, sem ser possível prever o local ou a hora a que atingirá o solo. 

Se isso acontecer, esta será a segunda carga, com destino à Estação Espacial Internacional, a perder-se nos últimos seis meses. Em outubro, uma nave não tripulada idêntica nas norte-americana explodiu ainda durante o lançamento.

A bordo do Progress M-27M estão armazenados 880 litros de gasolina, 420 litros de água, 50 quilos de oxigénio e mais 1419 quilos de comida, roupa e outros mantimentos.

Apesar da nave andar perdida, a NASA, agência espacial norte-americana, já garantiu que o facto não é motivo para alarme e que as operações da Estação Espacial Internacional não ficam em perigo. Neste momento, a estação tem disponíveis alimentos para mais de quatro meses e combustível para mais de um ano.

A Estação Espacial Internacional é um laboratório com a dimensão aproximada de  uma casa com cinco assoalhadas, destinado a experiências científicas e investigação tecnológica. Custou cerca de 100 mil milhões de dólares (91,6 mil milhões de euros), funciona com equipas rotativas de seis pessoas e é um projeto que envolve 15 nações.