Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Morreu Percy Sledge, que se emocionou a cantar o que é amar uma mulher

  • 333

Trabalhava num hospital, mas cantava à noite em clubes locais. Era versátil e cantava de tudo: desde músicas dos The Beatles até James Brown. O seu primeiro single, "When a Man Loves a Woman", foi um sucesso nos anos 60 e continua a servir de música de fundo de vários filmes.

Percy Sledge, o cantor de soul e T&B que gravou o hit de 1966 "When a man Loves a Woman", morreu esta terça-feira vítima de cancro. Steve Green, da agência de talentos Artists Internacional Management Inc., confirmou à BBC que o cantor faleceu na sua casa em Baton Rouge, no estado da Louisiana (EUA). Tinha 73 anos.  

O cantor nasceu em novembro de 1940 no Alabama. Cresceu a trabalhar nos campos e pouco sabia do mundo "exterior", como dizia. Alguns anos depois, começou a trabalhar como enfermeiro num hospital local, mas o desejo por cantar esteve sempre presente em Sledge. Durante o dia trabalhava e à noite cantava em clubes com um grupo musical popular em 1965, os Esquires.

Nessa altura, Percy Sledge cantava de tudo, como ele gostava de relembrar: "The Beattles, Elvis Presley, James Brown, Wilson Pickett, Motown, Sam Cooke e The Platters." E foi esta ampla experiência que lhe deu a versatilidade como cantor, caracterizado pela voz rouca e nasal, talhada para o mundo do soul. 

Por mero acaso, Sledge conheceu um locutor de rádio, Quin Ivy, que aspirava ser produtor de discos e, por essa razão, construiu um pequeno estúdio, em Sheffield (Alabama). E foi este pequeno salto que levou o cantor norte-americano para o mundo da soul. 

FOTO Evan Agostini/Getty Images

O seu primeiro single, "When a Man Loves a Woman", inspirado numa namorada de Sledge que o trocou por outro homem, foi logo um êxito. Esteve no topo das tabelas de R&B durante várias semanas e já foi utilizada em vários filmes. Numa entrevista feita em 2013 para o documentário Muscle Shoals, Sledge relembrou a primeira gravação da música: "Quando cheguei ao estúdio, tremia como uma folha. Mas a melodia da canção era a mesma que eu entoava quando cantava nos campos onde cresci e os nervos acabaram".

A sua estreia no mundo musical não podia ter sido melhor, mas Sledge continuou a gravar singles famosos durante os anos 70, como "Warm and Tender Love", "It Tears Me Up", "Out of Left Field" e "Take Time To Know Her". Depois, porém, terminaram os êxitos. 

Nunca deixou de cantar. O seu último álbum data de 2013 , "The Gospel of Percy Sledge", e contém 10 baladas que faziam já parte do estilo musical do cantor.

Ao longo dos anos foi ainda galardoado com vários prémios musicais. Em 1989, ganhou um prémio da Fundação de R&B e, em 2005, o nome do cantor norte-americano entrou no "Hall of Fame" da música Rock n'Roll.   

Sledge era tido como um homem tranquilo e como um cantor que se manteve fiel ao seu público e que continuou a cantar no mesmo registo: baladas carregadas de emoções. Só tinha uma exigência: que o ouvissem a cantar em silêncio.