Expresso

Siga-nos

Perfil

Perfil

Sociedade

Morreu Manuel Cintra Ferreira

  • 333

Morreu Manuel Cintra Ferreira, programador da Cinemateca e crítico de cinema do Expresso, vítima de cancro. Corpo está hoje na Igreja de Campo de Ourique

Manuel Cintra Ferreira, crítico de cinema do Expresso e programador da Cinemateca, morreu ontem aos 68 anos em Lisboa, vítima de cancro, disse à agência Lusa o produtor Manuel Fonseca.    Manuel Cintra Ferreira, nascido em Lagos em 1942, trabalhou no Expresso como crítico de cinema desde meados dos anos 1980 e era um dos mais antigos programadores da Cinemateca Portuguesa.    O corpo de Manuel Cintra Ferreira está hoje em câmara ardente na Igreja de Campo de Ourique, em Lisboa, e o funeral realiza-se na terça-feira, às 12:00, para o cemitério do Alto de São João, onde será cremado. 

"Respirava cinema" 

Manuel Cintra Ferreira era um "homem que respirava cinema por todos os poros (...). Vivia para o cinema e tinha a mais prodigiosa memória. Se havia um filme que o Cintra não encontrava, não existia", disse à Lusa Jorge Leitão Ramos, também crítico de cinema do semanário Expresso.    Recentemente, Manuel Cintra Ferreira doou à Cinemateca cópias de dois filmes de eleição: "A desaparecida", (1956), de John Ford, e "O ladrão de Bagdad" (1940), de Michael Powell, Ludwig Berger e Tim Whelan.    A Cinemateca retribuiu o gesto com a exibição de alguns dos filmes preferidos de Manuel Cintra Ferreira. 

Clique aqui para ler a homenagem do jornalista António Loja Neves a Manuel Cintra Ferreira, num texto publicado na Revista Única de 16 de outubro de 2010, com o título "O tesouro que Manuel Cintra Ferreira quis dar-nos".