Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Ministério Público não pediu levantamento da imunidade de Paulo Campos

Procuradoria Geral da República garante não ter pedido, nem ter conhecimento, de qualquer pedido de levantamento da imunidade do deputado socialista.

João Garcia e Rui Gustavo

Em resposta a uma questão levantada pelo Expresso, a Procuradoria-Geral da República diz que "não tem conhecimento de qualquer pedido de levantamento da imunidade parlamentar do deputado Paulo Campos".

Além disso, a PGR garante que o Ministério Público "não formulou qualquer pedido nesse sentido".

Paulo Campos, que foi secretário de Estado das Obras Públicas do último Governo de José Sócrates, disse ao Expresso que, até ao princípio da tarde - a hora a que falou com o nosso jornal - não tinha chegado qualquer pedido para levantamento da sua imunidade parlamentar ao gabinete da presidente da Assembleia da República, ao contrário do que noticiam alguns jornais online.



O agora deputado confirmou que teve conhecimento do boato quinta-feira à tarde, mas disse ter sido informado que "não deu entrada no gabinete da presidente da Assembleia qualquer pedido de qualquer entidade judicial para levantamento da imunidade parlamentar".



O levantamento da imunidade é essencial para que os deputados possam depor em processos-crime. O requerimento é apresentado à presidente da Assembleia e é posteriormente apreciado pela Comissão de Ética.



Em setembro de 2012 foram realizadas buscas a sua casa, bem como às de Mário Lino e António Mendonça, ex-ministros de Sócrates, no âmbito de um inquérito sobre as PPP (parcerias público-privadas). "Mas também sobre este caso, que já leva três anos e andou por todos os jornais, nunca me quiseram ouvir", disse o ex-secretário de Estado.