Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Melhores hospitais do país estão no Norte e no Alentejo

Empresa multinacional elegeu cinco unidades de topo em Portugal. Os grandes centros universitários de Coimbra e de Santa Maria, em Lisboa, ficaram de fora da lista de nomeados.

É a primeira vez em Portugal que a empresa multinacional de origem espanhola IASIST, dedicada a estudos de benchmarking (referência sobre as melhores práticas) na Saúde, publica uma avaliação aos hospitais públicos portugueses. Todos aceitaram participar e cinco foram eleitos os melhores no seu grupo. Os dois maiores hospitais do país, os universitários de Coimbra e Santa Maria, em Lisboa; nem sequer foram incluídos na lista de nomeados.

Por ordem crescente de dimensão, variedade e complexidade da casuística, venceram o Hospital de Santa Maria Maior, em Barcelos (grupo B), e o Centro Hospitalar de Entre o Douro e Vouga (grupo C), que integra o Hospital de São Sebastião, em Santa Maria da Feira. No grupo seguinte, (D), o vencedor foi o Hospital do Espírito Santo, em Évora.

No patamar mais elevado (grupo E), que agrega os hospitais chamados de 'fim de linha', a distinção foi para o Centro Hospitalar do Porto, que inclui o Santo António. Neste grupo, a lista de nomeados não contemplou os dois maiores hospitais portugueses, ambos universitários: o Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra e o Centro Hospitalar de Lisboa Norte, onde está o Santa Maria. A disputa ficou limitada aos centros hospitalares do Porto, que venceu; de São João (também no Porto) e de Lisboa Central, que integra o São José, o Curry Cabral, entre outros.

A ausência de Coimbra e de Santa Maria é especialmente notada, porque ambos foram distinguidos na mais recente avaliação da Escola Nacional de Saúde Pública. No estudo publicado em fevereiro, Coimbra foi considerada a melhor unidade hospitalar pública do país e Santa Maria ficou no terceiro lugar do 'ranking', logo depois do São João. O agora vencedor Centro Hospitalar do Porto ocupou o quinto lugar do top.

Os técnicos da empresa espanhola avaliaram ainda as Unidades Locais de Saúde, dando a vitória ao Litoral Alentejano.

Na nota enviada aos jornalistas, os responsáveis da IASIST - que há 14 anos consecutivos monitoriza os hospitais espanhóis - explica que estas são as unidades que em 2013 apresentaram "melhores níveis de desempenho global". Com estes resultados, a empresa diz que "não pretende apresentar publicamente um 'ranking' de hospitais, mas apenas, e pela positiva, distinguir os que apresentam os melhores resultados".

Para a análise os peritos consideraram duas dimensões: qualidade e eficiência. A qualidade medida pelos índices de mortalidade, complicações, readmissões e cesarianas. A eficiência pela demora média, índice de cirurgia ambulatória, número e custos operacionais de doentes-padrão por médico.

De fora ficaram "apreciações sobre a qualidade e a adequação da estrutura hospitalar, número e variedade de profissionais disponíveis, listas e tempos de espera para consulta, internamentos, hospitais de dia ou cirurgia". E, "do mesmo modo, não são apreciadas as condições hoteleiras proporcionadas aos doentes, bem como os seus níveis de satisfação".

Os prémios foram anunciados e entregues esta terça-feira, numa cerimónia na reitoria da Universidade Nova de Lisboa.