Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Marinho Pinto. "Há alguns políticos bem piores do que o Sócrates que deviam estar na cadeia"

FOTO PEDRO NUNES / LUSA

Eurodeputado e fundador do Partido Democrático Republicano afirma ainda que "prender para investigar lembra os piores tempos da inquisição e do Santo Ofício".

O eurodeputado e fundador do PDR Marinho Pinto defendeu hoje que a prisão preventiva de José Sócrates "não mancha a dignidade" de todos os políticos e sugeriu que há "alguns bem piores" que não estão na cadeia.  

"Uma andorinha não faz a primavera e a prisão de um político não mancha a dignidade de todos os outros. O problema é que se calhar há alguns políticos bem piores do que o Sócrates que deviam estar na cadeia", afirmou Marinho Pinto.

O eurodeputado, eleito pelo MPT, falava aos jornalistas depois de entregar as assinaturas necessárias à formalização do Partido Democrático Republicano, na 4ª secção do Tribunal Constitucional.  

Marinho Pinto afirmou que "se calhar há políticos que cometeram factos bem mais graves do que aqueles que são imputados hoje a Sócrates e estão aí em liberdade a gastar de forma obscena e a exibir de forma obscena as fortunas que acumularam no exercício das funções políticas". 

"A justiça é como é. (...) Prender para investigar lembra os piores tempos da inquisição e do Santo Ofício, os piores tempos das ditaduras do século XX", sustentou o ex-bastonário da Ordem dos Advogados. 

Marinho Pinto, advogado, disse lamentar que em Portugal "se prenda primeiro e se investigue depois", considerando que essa forma de a Justiça portuguesa atuar "humilha as pessoas".  

O ex-primeiro-ministro José Sócrates está detido, em prisão preventiva, no Estabelecimento Prisional de Évora, indiciado de fraude fiscal, branqueamento de capitais e corrupção.