Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

'Manif' de professores atrasa quase uma hora

A manifestação de professores saiu pelas 16h10 do Marquês de Pombal, com quase uma hora de atraso, depois de 100 autocarros terem ficados retidos na A1.

Milhares de professores, de Norte a Sul do país, manifestam-se hoje na Avenida da Liberdade, em Lisboa, em defesa da sua profissão, da escola pública e da qualidade de ensino.

A manifestação saiu pelas 16h10 do Marquês de Pombal, quase uma hora depois do previsto, devido ao atraso na chegada de autocarros com professores que ficaram retidos na autoestrada do Norte, devido a um acidente.

À cabeça do desfile estão o secretário-geral da FENPROF, Mário Nogueira, e o líder da CGTP, Arménio Carlos.

Empunhando bandeiras de vários sindicatos filiados na FENPROF, os professores gritam "Crato para rua, a escola não é tua", "Matar a educação é destruir a Nação" e "Mobilidade especial para quem governa mal".

Os docentes trouxeram para a manifestação um caixão com a foto do ministro da Educação, Nuno Crato, e do primeiro-ministro, Passos Coelho, com a frase: "Aqui jaz a Escola Pública."