Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Mais mortos e feridos graves nas estradas no balanço dos primeiros dias da 'Operação Natal Tranquilo'

Em dois dias a GNR registou 385 acidentes. Número de feridos ligeiros baixou em quase metade em comparação com 2013.

Quatro pessoas morreram e 10 ficaram feridas com gravidade em 385 acidentes registados nas estradas nacionais nos primeiros dois dias da operação "Natal Tranquilo 2014", disse à agência Lusa fonte da GNR.

Segundo dados provisórios hoje divulgados pela GNR, nos dias 23 e 24 foram registados menos 229 acidentes do que em igual período do ano passado em que ocorreram 614, dos quais resultaram quatro mortos e 10 feridos graves, respetivamente mais duas vítimas mortais e mais oito feridos com gravidade do que na antevéspera e véspera de natal de 2013.

Já o número de feridos ligeiros registado nos primeiros dois dias da operação de Natal da GNR baixou para 89, contra os 176 registados em igual período de 2013.

Na terça-feira foram registados 202 acidentes rodoviários (menos 105 do que no dia 23 de dezembro de 2013), dos quais resultaram dois mortos, quatro feridos graves e 54 feridos ligeiros. Em igual período do ano passado tinham sido registados um morto, um ferido graves e 101 feridos ligeiros.

Já na véspera de Natal ocorreram 183 acidentes (menos 124 do que no mesmo dia do ano passado), dos quais resultaram dois mortos: um por atropelamento e outro por despiste automóvel. Os acidentes registados esta quarta-feira resultaram em seis feridos graves (mais cinco do que no mesmo período do ano passado) e 35 feridos ligeiros (menos 40 do que os 75 registados na véspera de Natal em 2013).

A operação "Natal Tranquilo 2014" foi iniciada às 00h de dia 23 e decorre até dia 28, inclusive.

Para a operação "Natal Tranquilo 2014" estarão mobilizados 7.870 militares, que vão estar atentos ao controlo da velocidade, à condução sob efeito de álcool e substâncias psicotrópicas, à falta de carta de condução e de uso de cintos de segurança e cadeirinhas para crianças, bem como à utilização indevida de telemóveis.