Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Lizzie tem de comer de 15 em 15 minutos para manter-se viva

Lizzie Velasquez tem 21 anos, mede 1,57 metros e pesa cerca de 26 quilos. Por dia, faz mais de 60 pequenas refeições altamente calóricas, mas sofre de um síndrome que a impede de ganhar massa gorda. (Ver vídeo no fim do texto)

Paula Cosme Pinto (www.expresso.pt)

Lizzie Velasquez tem praticamente 0% de gordura no corpo mas não é anorética. Sofre de uma síndrome rara que a impede de ganhar peso: para manter-se saudável tem de comer de 15 em 15 minutos.

Ao todo, a norte-americana de 21 anos - que mede 1,57 metros e pesa cerca de 26 quilos - chega a fazer mais de 60 pequenas refeições por dia. "Eu como a cada 15 ou 20 minutos para manter os meus níveis de energia elevados. Consumo pequenas doses de batatas fritas, doces, chocolate, pizza, frango, bolos, gelados, massas e tortas durante todo o dia", revelou em entrevista ao jornal "The Sun", acrescentado que fica "muito chateada quando as pessoas pensam que sofre de anorexia".

O estranho caso de Lizzie Velasquez

O caso de Lizzie tem fascinado a comunidade científica, que já pediu a sua colaboração para um estudo genético dirigido pelo professor Abhimanyu Garg, da Universidade de Texas.

Os exames realizados revelam que Lizzie pode ter uma forma de Síndrome Neonatal de Progeróides, que provoca envelhecimento precoce, perda de gordura da cara e do corpo e degeneração de tecidos.

Embora ainda "sem qualquer previsão sobre o que poderá ser o futuro da jovem", o professor Abhimanyu Garg continua a analisar antigos casos de pessoas com a mesma síndrome em buscas de respostas. Por agora, a conclusão é positiva: "Ela tem sorte de ainda ter dentes, ossos e órgãos saudáveis. A perspetiva é boa. Continuaremos a estudar seu caso e aprender com ela".

A história de um nascimento prematuro

O pouco peso de Lizzie foi um marco na sua vida desde o primeiro minuto em que viu a luz: nasceu quatro semanas antes do tempo, pesando pouco mais que um quilo. À sua mãe os médicos afirmaram não ter ideia de como ela poderia sobreviver, uma vez que houvera um problema com o líquido amniótico.

Lizzie foi sobrevivendo, mas as previsões dos médicos continuavam negras: era certo que a bebé nunca viria a ser capaz de andar, falar ou ter uma vida normal. Apesar de tudo, a atual estudante de Comunicação foi crescendo sem problemas de desenvolvimento dos ossos e órgãos internos.

Os irmãos de Lizzie, Chris, de 12 anos, e Marina, de 15 anos, são ambos de estatura e peso normais.

Em setembro deverá ser publicado um livro onde Lizzie Velasquez  conta a sua experiência de vida.