Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Lesados do BES concentrados à porta do governador do Banco de Portugal

  • 333

Protesto de clientes lesados na Alfândega do Porto, no dia 7 de março. Este sábado, várias dezenas de manifestantes protestam em Lisboa, à porta da casa de Carlos Costa

Estela Silva/Lusa

As dezenas de manifestantes, clientes que investiram em papel comercial do Grupo Espírito Santo (GES), gritam "gatuno" e exigem o pagamento do dinheiro investido.

Dezenas de clientes do Banco Espírito Santo (BES) que investiram em papel comercial do Grupo Espírito Santo (GES) estão concentradas à porta da casa do governador do Banco de Portugal (BdP), em Lisboa, a exigir o pagamento do dinheiro investido.

Ao ritmo de buzinas e de bombos, os manifestantes gritam "gatuno" na rua de acesso ao prédio onde Carlos Costa mora, no Parque das Nações, depois de, durante a manhã, terem estado em protesto junto ao Centro de Congressos de Lisboa (antiga FIL).

O veterano de guerra Francisco Machado, de 66 anos, marca o ritmo do protesto com os batuques ininterruptos num bombo, circulando entre os manifestantes, que apenas conheceu em janeiro quando percebeu que o "depósito que tinha feito, sem qualquer risco, numa empresa do grupo GES não seria pago".

"Disseram-me que era um depósito no grupo dono do BES e, como em cerca de 20 anos, nunca tive problemas com o banco nem questionei", acrescentou.

Levantou-se às 2h00 para viajar de autocarro de Arcos de Valdevez até Lisboa para participar no protesto, mas não dá sinais de cansaço, prometendo só baixar os braços quando "as economias de uma vida" lhe forem pagas "com juros".

Em declarações à Lusa, Francisco Machado mostrou-se confiante que a história dos clientes do BES que compraram papel comercial do GES terá um final feliz, porque "quem tem razão, tem que vencer".

"Fraco com os poderosos, implacável com os cidadãos lesados" é acusação dos manifestantes à atuação do governador do Banco de Portugal, expressa através de cartazes, a quem exigem que faça uso da provisão que está no Novo Banco e "mande pagar as poupanças de uma vida".