Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Jogos da Santa Casa registaram máximo histórico em 2014

  • 333

O Euromilhões continua a ser o jogo mais procurado, tendo gerado 917 milhões de euros de vendas brutas em 2014

José Ventura

O Euromilhões continua a ser o jogo mais procurado - dois em cada três portugueses apostaram nele no ano passado, gerando 917 milhões de euros e representando quase metade das vendas totais de 2014.

As vendas brutas dos Jogos da Santa Casa atingiram 1880 milhões de euros em 2014, um novo máximo histórico, confirmando a tendência de crescimento que já se verifica desde 2011. Em relação a 2013, as vendas representam um crescimento de 5%, segundo o relatório de contas apresentado esta quarta-feira pelo Departamento de Jogos da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa.



O número de apostadores aumentou nos últimos dois anos - 76% da população portuguesa apostou nos jogos em 2014, evidenciando um crescimento de 5,2 milhões de apostadores com mais de 18 anos em 2012 para 6,5 milhões em 2014. Entre os jogos da Santa Casa está o Euromilhões, Totoloto, Joker, Lotaria Clássica, Lotaria Popular, Raspadinha e Totobola.



Apesar do aumento de jogadores, registou-se uma redução de 13% do valor médio da aposta semanal entre 2012 e 2014. "No difícil contexto socioeconómico que o país ainda atravessa, houve naturalmente uma visível contração dos orçamentos familiares, que se refletiu, também, no rendimento disponível para o entretenimento", explica o Departamento de Jogos na informação enviada à imprensa.



O Euromilhões continua a ser o jogo mais procurado, tendo gerado 917 milhões de euros de vendas brutas. Dois em cada três portugueses apostaram no Euromilhões e as vendas do loto europeu representaram quase metade (49%) do total de vendas dos Jogos da Santa Casa.



A seguir fica a Raspadinha (ou Lotaria Instantânea), no qual apostaram cerca de 44% dos portugueses, com vendas de 700 milhões de euros e que cresceu 20% face a 2013.



O valor de Imposto de Selo gerado pelos jogos atingiu os 145 milhões de euros (81 milhões de imposto sobre as vendas e 64 milhões sobre os prémios), representando um aumento de 15% face a 2013 e 11% do total de receitas fiscais do Imposto do Selo, sendo este o montante mais elevado até agora.



"Os lucros do Departamento de Jogos constituem uma importante fonte de financiamento das políticas sociais do Estado, quer as que são prosseguidas pela Santa Casa da Misericórdia de Lisboa no âmbito da sua missão, quer as que são por este diretamente conduzidas nas áreas das Ação Social, Saúde, Educação, Desporto e Cultura, entre outras", lê-se na nota enviada à imprensa.



Do valor apostado nos jogos, 535 milhões de euros foram distribuídos pelos beneficiários - valores repartidos segundo as percentagens constantes em decreto-lei. Entre os beneficiários está a Ação Social (339 milhões de euros), Saúde (86 milhões), Desporto (62 milhões), Cultura (25 milhões) e Proteção Civil (15 milhões).



Para o ano de 2015, o departamento de jogos da Santa Casa destaca o facto de o Estado lhe ter atribuído a exploração em regime de exclusividade das apostas desportivas à cota e apostas mútuas hípicas, ambas de base territorial.