Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Isto não é uma festa. Isto é um happening

  • 333

Paciência. O cupcake no topo do bolo levou duas horas a fazer

Para a maioria dos miúdos, as festas de aniversário são sinónimo de brincadeira à perna solta, gelatinas e sandes descontraidamente espalhadas pela mesa em pratos de plástico. Mas há quem contrate empresas especializadas para criarem megaeventos temáticos que chegam a custar 10 mil euros.

Três rapazes de sete, oito anos entram de rompante na sala decorada com os clássicos da Disney para celebrar o terceiro aniversário e o batizado de Duarte. Na mesa principal, há um bolo feito em forma de árvore, cupcakes com o Capuchinho Vermelho, cake pops (bolos com forma de chupa-chupa) com as caras dos três porquinhos, chávenas com flores, potes recheados de go mas, minicopos com diferentes tipos de mousse, molduras com imagens da Branca de Neve e doces originais (como bombons de uva) expostos em pratos delicados. A comida está toda identificada com pequenos cartões personalizados com o tema da festa. Os três amigos hesitam perante o prato dos bombons. "Tira tu! Não, tira tu! Se tu tirares eu tiro." Não tiveram vergonha em correr pelo jardim, nem estão preocupados por andarem suados (da brincadeira). Só a perfeição da mesa os deixa embaraçados.

"Às vezes, temos de ir à mesa e virar um brigadeiro para as pessoas começarem a comer", diz Liliani Wietcovsky, da Lima Limão Festas Com Charme, a empresa que organizou a festa. Para recriar o ambiente com os desenhos de que o pequeno Duarte gosta foram precisas mais de doze horas, outros tantos dias de planeamento e recorrer a vários fornecedores. Só os salgados foram feitos por três pessoas.

Para a mãe de Duarte, vale a pena o investimento. "Eu não conseguia preparar uma festa com todos estes pormenores. As mães, hoje, já não têm tempo para tratar das festas de aniversário", diz Laura Loureiro, diretora de marketing numa empresa de automóveis. Esta foi a primeira vez que o Duarte teve uma festa assim, mas não será a última. Laura já está a pensar nas próximas.

As festas com o bolo da pastelaria e os pães de leite e rebuçados espalhados, desordenadamente, pela mesa, quase parecem coisa do passado. Pelo menos, a julgar pelo sucesso que as recém-criadas empresas de festas infantis fazem. Há dois anos e meio, quando Liliani Wietcovsky tentou fazer um babyshower para a filha que estava para nascer, viu que não havia empresas no mercado que se dedicassem a este tipo de festas.

"Sou brasileira e lá toda a gente faz festas assim, até favelado [pessoas que vivem nas favelas]", conta. Hoje, chega a ter fins de semana com sete eventos, todos personalizados. "Esta é uma tendência que já não tem volta atrás. Os pais já não querem fazer menos do que fizeram no ano anterior." Com 900 euros já se consegue ter um aniversário organizado pela Lima Limão, mas o céu é o limite. A mais cara que organizaram rondou os cinco mil euros.

Inspiração. Muitos pais pedem festas iguais às que viram nos blogues

Inspiração. Muitos pais pedem festas iguais às que viram nos blogues

A moda não está centrada apenas em Lisboa. Em Braga, Ana Franqueira está prestes a deixar a profissão de farmacêutica para se dedicar às festas para crianças. Os pedidos vêm de todas as zonas do país, incluindo do Algarve. "Há uma grande procura e nunca tive uma festa recusada pelo orçamento." A partir dos mil euros, a Made With Love, empresa de Ana, já consegue montar festas com um serviço completo. Além da comida e da decoração, também é possível tratar da animação e da fotografia. "Temos parceiros que trabalham connosco nestas áreas, mas damos aos pais algumas hipóteses de escolha", diz Liliani Wietcovsky.

Mais para os pais do que para os filhos Os temas variam, apesar das princesas, do rústico e do vintage estarem muita na moda. Mas há algo que é transversal a todas as festas: o detalhe. O detalhe dos macarons espalhados, em degradé, por pratos Bordalo Pinheiro, dos chocolatinhos embrulhados em papel com o design da festa, da tira de banda desenha do "Tintim" que envolve as sandes. Primeiro, escolhese o tema, depois os tons, e a partir daí é tudo personalizado. E há muito mais a fazer do que decoração, catering e comida. Muitas vezes, é preciso alugar móveis, o que encarece a festa. Há um mês, quando uma bebé celebrou o primeiro aniversário houve um carrossel vintage que veio de Barcelos até Cascais.

"E tinha o senhor vestido a rigor a dar à manivela", reforça Paula Mendes, a sócia de Liliani. Quando souberam que a mãe fazia questão que o carrossel fosse vintage - era esse o tema da festa -, Paula e Liliani percorreram o país à procura de um verdadeiro. Por uma questão de precaução, a mãe da menina já contratou a Lima Limão para os próximos cinco aniversários da filha e os temas já estão pré-escolhidos. "É uma cliente que confia em nós. Também é melhor para não haver a hipótese de já estarmos ocupadas. É que apesar da crise, este ano, [as marcações para] os meses de julho e agosto esgotaram em abril."

Planeamento. Uma mãe já programou as festas da filha, de um ano, para os próximos cinco anos

Planeamento. Uma mãe já programou as festas da filha, de um ano, para os próximos cinco anos

"Estas festas são mais para os pais do que para os filhos", confessa Ana Coelho Duarte, da Save the Date. Criada há um ano, a empresa faz cerca de duas festas por fim de semana, porque Ana, que é funcionária da PT, faz questão de não aceitar mais. "Se não fizesse mais nada na vida talvez pudesse aceitar fazer três ou quatro festas por fim de semana." Planear e personalizar uma festa, desde o bolo de aniversário aos rótulos das garrafas de água, exige algum tempo de preparação. "Se de um lado da mesa está um objeto mais alto, do outro também de estar. Tenho atenção a este tipo de detalhes." Se os pais pretenderem apenas a mesa do bolo (que inclui a decoração e os docinhos), o serviço custa entre os 350 e 650 euros. Porém, Ana já teve uma mãe que gastou dez mil para comemorar os oito anos do filho. Feita num hotel de luxo, até teve direito a sushi. "Acho que nem o filho do Ronaldo teve uma festa assim..."

Perfeição. As mesas são organizadas ao milímetro

Perfeição. As mesas são organizadas ao milímetro

Nem todos os pais podem gastar estes valores, mas Ana garante que não há só gente rica entre os clientes. "São pessoas que fazem gosto em ter uma festa bonita, personalizada. Às vezes, percebemos que estiveram a juntar o dinheiro para poderem fazer a festa", conta Liliani Wietcovsky. De Angola chegam cada vez mais clientes que aproveitam as férias em Portugal para celebrarem os aniversários dos filhos. A Lima Limão foi inclusive convidada para se internacionalizar, mas recusou, por ter dificuldade em responder a todas as solicitações em Portugal.

A influência das blogueres A pressão das mães blogueres, que ditam tendências, adensa a vontade de fazer igual. "As pessoas querem um estilo de vida. Querem o que veem nos blogues", sublinha Ana. Neste campeonato há uma rainha: Fernanda Ferreira Velez. Mais conhecida como a mãe da Carlota, porque o blogue que alimenta chama-se O Blog da Carlota, recorre com frequência à Lima Limão e à Save the Date.

Detalhes. Da decoração ao bolo tudo segue o mesmo tema

Detalhes. Da decoração ao bolo tudo segue o mesmo tema

"Quando fizemos o babyshower da Carminho (a irmã da Carlota, segunda filha de Fernanda), a loja que nos forneceu as loiças recebeu tantos telefonemas que acabou por fazer um post com os produtos usados, para as pessoas pararem de ligar a perguntar", diz Liliani Wietcovsky. Também Ana teve experiência semelhante. Depois da festa de segundo aniversário da Carlota, sob o tema Carlota's Candy Shop, foram muitas as mães que lhe pediram um orçamento para uma festa igual. Claro que depois de verem os valores, nem todas conseguem pagar. O mesmo aconteceu com Joana Freitas quando organizou o primeiro aniversário de Mateus, filho da bloguer Ana Garcia Martins, do blogue A Pipoca Mais Doce, um dos blogues mais lidos do país. "Houve um cliente que nos pediu a festa exatamente igual, mas acabámos por juntar mais elementos." Criada em maio, a Mimo Eventos está a especializar-se nos aniversários em jardins públicos, piqueniques com direito a mesinhas, almofadas e tendas espalhadas.

Piqueniques. A Mimo Eventos está a especializar-se em festas na rua

Piqueniques. A Mimo Eventos está a especializar-se em festas na rua

Apesar de o principal negócio serem as festas de aniversário infantis, estas empresas começam também a ser procuradas para babyshowers, batizados e casamentos. "Este tipo de serviço é diferente, é mais acolhedor. Somos uma alternativa às quintas e restaurantes que alugam o espaço para as festas e servem o catering", diz Liliani Wietcovsky. A Limão Limão tem desde o verão uma vivenda, na zona de Porto Salvo, em Oeiras, disponível para os clientes que não têm espaço em casa. Em cada festa mudam a decoração de acordo com o tema e ambiente que idealizaram. Este ano, trouxeram uma pessoa do Brasil para dar formação a alguns dos fornecedores em Portugal. "Queremos coisas diferentes e que fique tudo no ponto", frisa.

Os mais pequenos não ligam aos detalhes, mas largam um 'uau' quando veem os seus bonecos ou heróis reunidos para lhes cantarem os parabéns. Quando se pergunta a Duarte se gostou da festa ele sorri e faz que sim com a cabeça. 

 

Artigo publicado originalmente na edição do Expresso de 6 de dezembro de 2014.