Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Energia e ambiente: Limpar e renovar


NESTES DOMÍNIOS - em particular, no caso da energia - o que estamos a realizar agora, será o que teremos dentro de cinco anos. Energia e ambiente são duas faces da mesma moeda, sendo a energia responsável pela maior parte dos problemas ambientais. Contudo, claro que existem domínios onde não surge como o 'inimigo número um'... Biodiversidade, por exemplo.

Dito isto, viajemos até 2015. O mote será - por razões ambientais e de segurança - diminuir a dependência das fontes fósseis, sobretudo do petróleo e tentar introduzir tecnologias que diminuam os impactos das fieiras fósseis.

Concretizando:

1. Os próximos cinco anos irão confirmar uma alteração (absolutamente) histórica no sector da energia, a saber, a electrificação da mobilidade. Os transportes - 97% derivados do petróleo - são responsáveis por um terço do consumo final de energia. Imagine-se o 'reagulhar' - embora que gradual - dos transportes, do petróleo para a electricidade, produzida com recurso às fontes renováveis ou nucleares. O impacto no ambiente é colossal e muito positivo, a nível global das emissões de CO2, a nível das emissões nas cidades. A consequência, em termos geoestratégicos, embora (quase) insensível em 2015, abrirá as portas para a revolução da relação de forças entre exportadores de petróleo e o mundo ocidental. Em 2015, haverá poucos veículos eléctricos mas, muitos problemas logísticos estarão amadurecidos e os construtores terão afinado alguns problemas técnicos.

2. As renováveis terão um peso maior na produção de electricidade, sobretudo nos países com um sector eléctrico maduro. Substituirão alguma produção fóssil. Em Portugal, poucas barragens do Plano Nacional, estarão em operação em 2015 e haverá 5500MW de eólico instalado.

3. Também no sector eléctrico, infelizmente, não haverá nenhuma central a carvão 'limpo', com sequestro de CO2 em 2015. A central prevista para Sines em 2014, não existirá.

4. Grande novidade será a acrescidacompetitividade de gás natural: com fantástico desenvolvimento das tecnologias de recuperação do shale gas, os preços manter-se-ão muito competitivos. Também os contratos de gás, serão flexibilizados. E haverá uso acrescido de gás na produção de electricidade - substituindo o carvão.

5. O uso racional e conservação deenergia serão uma prioridade e ter-se-áconfirmado o surgimento de muitastecnologias, materiais, soluções eserviços. Será um domínio criador debastante emprego.

6. A concorrência nos domínios do gás e electricidade irá aumentar, apelando à literacia energética dos consumidores.

7. Teremos novidades sobre o pós-Quioto e o que se decida acordar sobre o CO2 e as alterações climáticas, irá condicionar futuras opções.2015, para a energia é já amanhã. Em cinco anos, a estrutura dos balanços energéticos não conhecerá alterações dramáticas.

Este artigo foi publicado na Revista Única de 10 de Abril.