Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Decisão do Supremo sobre pedido de libertação imediata de Sócrates adiada para as 15h30

José Sócrates foi detido a 21 de novembro e constituído arguido por indícios dos crimes de corrupção, fraude fiscal qualificada e branqueamento de capitais

José Caria

Pedido de 'habeas corpus' apresentado por jurista de Gaia, à revelia da defesa do ex-primeiro-ministro, é apreciado esta quarta-feira.

O Supremo Tribunal de Justiça adiou para as 15h30 um pedido de habeas corpus que pretende a libertação imediata de José Sócrates. "Em princípio, o acórdão será depositado a essa hora", disse o juiz conselheiro Pereira Madeira, presidente da terceira seção do tribunal. A decisão chegou a estar prevista para esta quarta-feira de manhã.

Apresentado na quinta-feira da semana passada por um jurista de Vila Nova de Gaia, que nada tem a ver com a defesa do ex-primeiro ministro, o pedido contesta os motivos para a prisão preventiva decretada pelo juiz de instrução Carlos Alexandre na segunda-feira da semana passada, 24 de novembro.

O habeas corpus é um pedido para a libertação de um arguido alegadamente detido ou preso de forma ilegal.

José Sócrates foi detido sexta-feira, dia 21 de novembro, e constituído arguido por indícios dos crimes de corrupção, fraude fiscal qualificada e branqueamento de capitais. Três dias depois, a 24 de novembro, o Tribunal Central de Instrução Criminal determinou a prisão preventiva do ex-primeiro-ministro, depois de um longo interrogatório nesse fim de semana. Desde então, o antigo líder do PS encontra-se no estabelecimento prisional de Évora, onde é o recluso número 44.