Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

De comboio a 603 km/h. O novo recorde do TGV japonês

  • 333

É sempre a abrir. Uma semana depois de ter atingido os 590 kms/h, o comboio de levitação eletromagnética estabelece novo recorde. Ninguém para o TGV japonês.

O comboio de levitação eletromagnética japonês estabeleceu esta terça-feira um novo recorde de velocidade ao circular durante 10,8 segundos a 603 quilómetros por hora, informou a companhia de caminhos de ferro nipónica.

O novo recorde foi alcançado durante mais um teste, poucos dias depois da composição formada por sete carruagens ter batido os 581 kms/h atingidos em 2003, ao circular na quinta-feira da semana passada a 590 kms/h.

A companhia de caminhos de ferro do Japão pretende ter este comboio ao serviço em 2027, percorrendo os 286 quilómetros que separam a capital, Tóquio, da cidade de Nagoya em apenas 40 minutos, menos de metade do atual. De carro são necessárias cinco horas para fazer essa ligação.

Um campo eletromagnético permite que o comboio "flutue" dez centímetros acima dos carris, eliminando o atrito e permitindo atingir enormes velocidades

Um campo eletromagnético permite que o comboio "flutue" dez centímetros acima dos carris, eliminando o atrito e permitindo atingir enormes velocidades

Getty

Lá para 2045, estas composições também já deverão ter reduzido para metade o tempo de viagem entre Tóquio e Osaka, que os atuais Shinkansen (comboio foguete) demoram cerca de duas horas e meia a percorrer.

Até lá, ainda hão de ser investidos mais de 100 mil milhões de euros na construção de uma linha exclusiva até Nagoya, na qual 80% do percurso ficará debaixo de terra, explicando o brutal investimento com a construção dos sempre dispendiosos túneis.

Para financiar o projeto, o Governo japonês espera vender a tecnologia dos seus comboios de alta velocidade além-fronteiras. Esta semana, o primeiro-ministro Shinzo Abe deverá viajar até aos Estados Unidos, onde tentará convencer os norte-americanos a investirem numa linha de levitação magnética entre Nova Iorque e a capital, Washington.

Por estes dias, o comboio mais rápido dos EUA, o Acela Express, que liga as cidades de Boston e Washington, circula a uma velocidade máxima de 241 kms/h durante metade da viagem. O português alfa-pendular chega aos 220 kms/s.

Um campo eletromagnético permite que o comboio "flutue" dez centímetros acima dos carris, eliminando o atrito e permitindo atingir enormes velocidades

Um campo eletromagnético permite que o comboio "flutue" dez centímetros acima dos carris, eliminando o atrito e permitindo atingir enormes velocidades

Getty