Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Caso Rui Pedro. Afonso Dias entregou-se "nervoso e em baixo"

  • 333

Afonso Dias (ao centro) foi condenado a uma pena de três anos de prisão

Telenovelas

Afonso Dias tem de cumprir três anos de prisão pelo rapto de Rui Pedro, a criança que desapareceu na Lousada em março de 1998.

Rui Gustavo

Rui Gustavo

Editor de Sociedade

O homem condenado pelo rapto de Rui Pedro não esperou que a polícia o viesse buscar a casa para começar a cumprir a pena de três anos a que foi condenado. "Soube pelo tribunal que os mandados de detenção já tinham sido emitidos, peguei no meu cliente e fui levá-lo à cadeia", conta ao Expresso Paulo Gomes, advogado de Afonso Dias, o camionista que negou sempre qualquer envolvimento no desaparecimento do menor de 11 anos.

"O meu cliente estava bastante nervoso e em baixo, tem algum receio", revela Paulo Gomes, que esgotou todos os recursos para evitar a condenação e pondera agora recorrer ao Tribunal Europeu dos Direitos do Homem. "Só que isso não altera a pena e por isso tem mesmo de cumprir a condenação", explica o advogado. Segundo a Lusa, Afonso Dias entregou-se esta manhã, na cadeia de Guimarães.

Afonso Dias começou por ser absolvido no tribunal de primeira instância, mas viria a ser condenado a três anos no Tribunal da Relação do Porto. A condenação foi confirmada pelo Supremo Tribunal de Justiça. Segundo o acórdão condenatório, terá levado o menor a um encontro com uma prostituta. É por isso que é condenado e não pelo desparecimento do rapaz.

Se tiver bom comportamento irá passar um ano e meio na prisão. Apesar da sensibilidade do crime, não pediu qualquer medida de proteção especial.