Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Bono está doente e não pode cantar? Bruce Springsteen e Chris Martin tratam disso

Bruce Springsteen fechou com dois temas o concerto surpresa da banda irlandesa U2 em Tomes Square

TIMOTHY A. CLARY/AFP/Getty Images

Bruce Springsteen e o vocalista dos Coldplay, Chris Martin, substituíram a cara e a voz dos U2 num concerto surpresa realizado segunda-feira à noite, na emblemática Times Square, em Nova Iorque, para lembrar o Dia Mundial da Luta Contra a Sida.

A banda irlandesa U2 atuou segunda-feira à noite em Times Square, em Nova Iorque, num concerto surpresa no âmbito das comemorações do Dia Mundial da Luta Contra a Sida. Mas no lugar do vocalista Bono, que se encontra em recuperação após uma queda de bicicleta no mês passado, surgiram Bruce Springsteen e Chris Martin, que deram voz aos grandes êxitos dos U2. 

A pedido de Bono, o ex-Presidente Bill Clinton fez a abertura do concerto com algumas declarações sobre o vírus HIV. "Podemos acabar com a sidam mas todos temos que fazer a nossa parte", disse, citado pela Reuters.

Chris Martin, vocalista dos Coldplay, que vestia uma T-shirt onde se podia ler "Substitu2", iniciou o concerto com "Beautiful Day", seguida de "With Or Without You". A performance contou ainda com a presença da cantora americana Carrie Underwood e do rapper Kanye West. A atuação terminou com os hits "Where the Streets Have No Name" e "I Still Haven't Found What I'm Looking For", já na voz de Bruce Springsteen. 

The Edge, Larry Mullen Jr., Bruce Springsteen, Carrie Underwood, Kayne West e Chris Martin dirigem-se ao público que esgotou a Times Square para o concerto surpresa dos U2

The Edge, Larry Mullen Jr., Bruce Springsteen, Carrie Underwood, Kayne West e Chris Martin dirigem-se ao público que esgotou a Times Square para o concerto surpresa dos U2

TIMOTHY A. CLARY/AFP/Getty Images

No site oficial da banda irlandesa pode ler-se o agradecimento feito a Springsteen e a  Martin, que "graciosamente doaram o seu tempo e talento impedindo o cancelamento do evento do Dia Mundial da Luta Contra a Sida". Em declarações feitas a partir de Dublin, onde recupera, Bono afirma, citado pela AP, que "o mundo chegou a um ponto de inflexão na luta contra a sida - mais pessoas foram recentemente adicionadas aos tratamentos do que as recém-infetadas com o vírus". E acrescentou que "muitas pessoas veem esta situação como o início do fim da sida".