Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Base Aérea de Beja. Corpo de militar encontrado numa "situação muito estranha"

  • 333

PJ militar investiga morte de um jovem cabo da Força Aérea na base de Beja. À primeira vista ter-se-ia enforcado, mas o corpo foi encontrado numa "situação muito estranha".

Carlos Abreu

Jornalista

Suicídio ou homicídio? Serão estas as duas hipóteses seguidas para já pela Polícia Judiciária Militar na investigação relativa à morte de um jovem cabo de 23 anos, da Força Aérea, esta quinta-feira, na Base Aérea n.º 11, em Beja.

Fontes próximas disseram ao Expresso que o homem ter-se-ia enforcado, mas que o corpo foi encontrado numa "situação muito estranha", recusando avançar mais detalhes. Esta quinta-feira, fontes militares disseram à Lusa que havia indícios de "morte não natural".

O jovem cabo tinha sido deslocado da Base Aérea n.º 6, no Montijo, para reforçar o efetivo da messe da base alentejana onde decorreu, entre 23 de fevereiro e 6 de março, o principal exercício militar aéreo realizado todos os anos em território nacional, o Real Thaw.

O corpo do militar foi transportado para o Gabinete Medico-Legal do Hospital José Joaquim Fernandes, onde foi autopsiado esta sexta-feira, pelas 14h15.

Em comunicado divulgado esta quinta-feira, a Força Aérea "lamenta o falecimento" do militar, natural do concelho do Barreiro, que se encontrava ao serviço da instituição desde dezembro de 2012.

Nos últimos anos foram registados alguns casos de suicídio entre militares, com recurso quer a "armas de serviço", quer a "medicamentos", disseram ao Expresso fontes militares, justificando-os com a "situação económica" em que algumas destas pessoas se encontravam.