Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Base Aérea de Beja. Corpo de militar encontrado numa "situação muito estranha"

PJ militar investiga morte de um jovem cabo da Força Aérea na base de Beja. À primeira vista ter-se-ia enforcado, mas o corpo foi encontrado numa "situação muito estranha".

Carlos Abreu

Jornalista

Suicídio ou homicídio? Serão estas as duas hipóteses seguidas para já pela Polícia Judiciária Militar na investigação relativa à morte de um jovem cabo de 23 anos, da Força Aérea, esta quinta-feira, na Base Aérea n.º 11, em Beja.

Fontes próximas disseram ao Expresso que o homem ter-se-ia enforcado, mas que o corpo foi encontrado numa "situação muito estranha", recusando avançar mais detalhes. Esta quinta-feira, fontes militares disseram à Lusa que havia indícios de "morte não natural".

O jovem cabo tinha sido deslocado da Base Aérea n.º 6, no Montijo, para reforçar o efetivo da messe da base alentejana onde decorreu, entre 23 de fevereiro e 6 de março, o principal exercício militar aéreo realizado todos os anos em território nacional, o Real Thaw.

O corpo do militar foi transportado para o Gabinete Medico-Legal do Hospital José Joaquim Fernandes, onde foi autopsiado esta sexta-feira, pelas 14h15.

Em comunicado divulgado esta quinta-feira, a Força Aérea "lamenta o falecimento" do militar, natural do concelho do Barreiro, que se encontrava ao serviço da instituição desde dezembro de 2012.

Nos últimos anos foram registados alguns casos de suicídio entre militares, com recurso quer a "armas de serviço", quer a "medicamentos", disseram ao Expresso fontes militares, justificando-os com a "situação económica" em que algumas destas pessoas se encontravam.