Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Ainda não se sabe se estavam portugueses a bordo do avião que caiu nos Alpes

  • 333

O local do acidente

FOTO REUTERS

Autoridades portuguesas estão em contacto com as congéneres francesas. Haverá novas informações em breve.

O gabinete do ministro dos Negócios Estrangeiros, Rui Machete, e a Secretaria de Estado das Comunidades Portuguesas (SECP) estão "em contacto permanente com as autoridades" francesas para "acompanhar os desenvolvimentos do acidente aéreo que se verificou ao final da manhã nos Alpes".

Contactada pelo Expresso ao início da tarde, a assessoria de imprensa do gabinete de Rui Machete informa que continuam sem existir "listagens finais" sobre a nacionalidade dos passageiros a bordo.

Por enquanto ainda não se sabe se estavam portugueses a bordo do avião da Germanwings que caiu nos Alpes franceses. Numa nota de imprensa, a SECP refere que o acompanhamento da situação está a ser feito "através da Embaixada de Portugal em Paris e também do Consulado Geral de Portugal em Marselha".

Um Airbus A320 da companhia low cost Germanwings, com 150 pessoas a bordo (incluindo os dois pilotos e quatro assistentes), despenhou-se esta manhã na região da Barcelonette, no sul dos Alpes franceses. Morreram todos os passageiros e tripulantes.

O aparelho da Germanwings, uma filial da Lufthansa, fazia a ligação entre Barcelona e Düsseldorf. Pelas 10h31, e quando o avião se encontrava a 38 mil pés de altitude, as autoridades foram informadas que o aparelho ia começar descer. O avião baixou sempre a 3.200 pés por minuto e sem sequer sair da rota onde estava. O último contacto aconteceu a 6.800 pés, pelas 10h40. Estes 3.200 pés por minuto não representam uma descida abrupta, explicou ao Expresso um piloto de aviação civil.

[Notícia atualizada às 15h26]