Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Administração da RTP tem 10 dias para contestar acusações

Conselho de administração foi notificado na quinta-feira. Processo de destituição deverá assim arrastar-se.

O Conselho de Administração (CA) da RTP tem 10 dias úteis para se defender das alegadas faltas que lhe são imputadas no que respeita ao Plano Estratégico para a RTP submetido ao Conselho Geral Independente e à decisão de comprar os direitos dos jogos da Liga dos Campeões.



Fonte oficial confirmou ao Expresso que a notificação que assim o determina, nos termos da lei, foi recebida na quinta-feira, pretendendo o CA "manter reserva sobre este assunto" até essa data.



Em virtude deste prazo, a destituição da administração a RTP não deverá estar concluída até 2015, tanto mais que os procedimentos obrigam à realização de uma assembleia geral para o formalizar.

Recorde-se que o Conselho Geral Independente da RTP chumbou esta semana, pela segunda vez, o Plano Estratégico proposto pela administração da RTP, criticando a qualidade do mesmo e colocando até em causa algumas das premissas que o sustentavam.

Além disso, o conselho geral independente acusou a RTP de quebra de "lealdade institucional" por não lhe ter sido comunicada a compra dos direitos de transmissão da Champions  (operação na ordem dos 15 milhões de euros), tendo por isso pedido a destituição da administração da empresa.

Os diretores contestam no entanto essa obrigação, posição que a Entidade Reguladora para a Comunicação Social veio apoiar, num parecer divulgado na quinta-feira.

No seguimento deste segundo chumbo ao Plano Estratégico da atual administração da RTP, o Conselho Geral Independente decidiu propor ao Governo a destituição da atual equipa liderada por Alberto da Ponte.