Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

A freguesia que esteve 17 meses à espera de uma junta

  • 333

Aconteceu em Vila Chã de Ourique, no Cartaxo. A história remonta a setembro de 2013, mês de autárquicas.

O executivo da Junta de Freguesia de Vila Chã de Ourique, no concelho do Cartaxo, foi eleito 17 meses depois das eleições autárquicas de setembro de 2013, integrando elementos dos três partidos mais votados, disse esta segunda-feira o seu presidente.

 

Numa assembleia de freguesia marcada, na sexta-feira, pela ausência dos três eleitos do PS, o número dois da lista socialista, Vasco de Sousa Casimiro, foi eleito presidente de um executivo tripartido, em que os vogais são do movimento independente, Carlos Albuquerque, e do PSD, Domingos Alves.

 

Esta composição, exigida pelos eleitos do PSD e dos independentes, foi contestada desde o início pela anterior presidente eleita, Conceição Nogueira (PS), que resignou há um mês invocando a impossibilidade de eleger os vogais para o seu executivo, situação que considerou "incomportável para a freguesia".

 

Vasco Casimiro disse hoje à Lusa que entendeu que deveria pôr termo a um braço de ferro que estava a ser prejudicial para a freguesia, adiantando que a solução que aceitou não tem o apoio dos restantes membros da lista socialista, mas que foi feito com o acordo da concelhia do PS.

 

Com esta solução, o PS, partido mais votado nas eleições de 2013 na freguesia, fica com a presidência do executivo mas não está representado na mesa da assembleia, que é constituída por um elemento do PSD, que preside, um do movimento independente e outro da CDU (ao qual a coligação retirou a confiança política).

 

Vasco de Sousa Casimiro disse à Lusa acreditar que tem condições para gerir a freguesia com normalidade, sendo a sua prioridade a reposição dos funcionários cujos contratos cessaram, deixando os serviços com cerca de metade dos recursos humanos necessários.

 

Nas eleições de 29 de setembro de 2013, o PS obteve 34,36% dos votos e o PSD 33,02% (com uma diferença de 17 votos), elegendo cada um três elementos para a assembleia de freguesia. O Movimento Independente conseguiu 20,11% (dois eleitos) e a CDU 12,58% (um eleito).