Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Primeiro relatório para avaliar plano de redução da sinistralidade rodoviária pronto até outubro

Primeira reunião do conselho científico do Plano Estratégico Nacional de Segurança Rodoviária teve lugar nesta quarta-feira no Ministério da Administração Interna.

O Conselho Científico de Monitorização do Plano Estratégico Nacional de Segurança Rodoviária vai realizar até ao fim de outubro o primeiro relatório de avaliação deste documento que tem como objetivo reduzir as mortes nas estradas até 2020.

A primeira reunião do conselho científico do Plano Estratégico Nacional de Segurança Rodoviária (PENSE 2020), constituídos por elementos das universidades Nova de Lisboa, Coimbra, Porto e Instituto Superior Técnico teve lugar nesta quarta-feira no Ministério da Administração Interna.

"O PENSE entrou em vigor há cerca de um ano, depois de termos reunido o conselho interministerial em janeiro e o conselho nacional de segurança rodoviária em fevereiro realizamos agora a primeira reunião do Conselho Científico de Monitorização para que seja produzido o primeiro relatório de avaliação das medidas em execução no PENSE", disse à agência Lusa o secretário da Proteção Civil, José Artur Neves, no final da reunião.

José Neves adiantou que objetivo da reunião de hoje era estabelecer um calendário para a produção do relatório e dos elementos que são necessários para a sua elaboração e que a Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária (ANSR) e outros organismos do Estado que estão a desenvolver medidas no âmbito do PENSE vão enviar ao conselho científico, até setembro, elementos sobre a sua execução e até ao fim de outubro será apresentado o primeiro relatório.

"Este relatório vai precisamente fazer a avaliação das medidas já desenvolvidas neste primeiro ano do PENSE", afirmou, sublinhando que o Conselho Científico de Monitorização vai fazer uma "apreciação de natureza científica mais independente".
O Plano Estratégico Nacional de Segurança Rodoviária inclui 108 medidas e tem como metas reduzir em 56% o número de vítimas mortais e em 22% os feridos graves em 2020, face aos valores de 2010.

"O objetivo do PENSE é mais ambicioso do que aquele que é traçado pela União Europeia, que é chegar a 2020 com 46 mortes por cada milhão de habitantes. Enquanto o objetivo português aponta para chegar a 2020 com 40 mortos por milhão de habitantes", disse o secretário de Estado. O governante frisou ainda que o PENSE tem "uma imensidão de medidas que demoram o seu tempo a ser aplicadas, mas que se espera que tenham a sua aplicação total no decorrer do ano de 2019".

O Conselho Científico de Monitorização tem por missão fazer o acompanhamento do PENSE com relatórios anuais. O PENSE 2020 pretende "melhorar a gestão da segurança rodoviária", tornar os utilizadores, infraestruturas e veículos "mais seguros", além de pretender "melhorar a assistência e o apoio às vítimas.

Dados da ANSR indicam que entre 01 de janeiro e 07 de junho registaram-se 65.646 acidentes rodoviários, mais 2.065 do que no mesmo período de 2017. O número de mortos está a diminuir este ano, tendo os acidentes provocado 228 vítimas mortais, menos 17 do que em período idêntico de 2017. Este ano registaram-se ainda 900 feridos graves, enquanto no mesmo período de 2017 ocorreram 1.048.