Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Obras de emergência na EN 125 concluídas até quarta-feira. Automobilistas surpreendidos em período de férias

As obras de fundo só estavam previstas para 2019, mas as queixas dos automobilistas obrigaram a uma intervenção não programada, que causa protestos dos turistas que já chegaram ao Algarve

Conceição Ribeiro, jornalista SIC

DR

São só três ou quatro dias de diferença, no entanto, turistas e moradores devem respirar de alívio.

As obras de emergência que decorrem na Estrada Nacional 125, entre Olhão e Vila Real de Santo António , deverão terminar mais cedo, disse ao Expresso fonte da empresa Infraestruturas de Portugal.

Era suposto os trabalhos ficarem concluídos no fim-de-semana de 14 e 15 de Julho, mas a intervenção poderá estar concluída na quarta-feira, dia 11.

Esta semana, numa altura em que milhares de portugueses já estão de férias no Sotavento algarvio, alguns condutores tiveram de aguardar cerca de uma hora para atravessar a localidade de Luz de Tavira, devido às máquinas em manobras e ao trânsito que circulava de forma alternada.

Apesar de uma intervenção de fundo naquela via estar programada para 2019, o Ministério do Planeamento e das Infraestruturas viu-se forçado a “tapar buracos” num troço problemático de trinta e oito quilómetros, na sequência de vários protestos do Movimento de Cidadania Utentes da EN 125 e das autarquias de Vila Real de Santo António e Castro Marim.

O mau estado do piso e das bermas foi responsável por diversos acidentes e danos em dezenas de viaturas. A poucos dias do final dos trabalhos, Hugo Lopes, do Movimento de Utentes, reconhece que a intervenção, que ronda os 248 mil euros, melhorou substancialmente a circulação. “As zonas da Aldeia Nova, Altura, Praia Verde, até Cacela levaram uma camada de desgaste que já nos permite circular bem. As bermas também já foram remarcadas No entanto, a partir daí até Olhão há zonas onde só se remendaram buracos e partes onde nem isso foi feito. Quando a chuva voltar, essas partes que não levaram o piso novo vão ficar uma desgraça”, alerta.

Entretanto, a subconcessionária RAL – Rotas do Algarve Litoral comunicou à Infraestruturas de Portugal (IP) que suspendeu, a partir da 00:00h deste sábado, todas as actividades de operação e manutenção na EN125. A gestão regressa assim à IP, poucos dias depois do Tribunal de Contas ter recusado o visto à revisão do contrato da subconcessão do Algarve Litoral. A Infraestruturas de Portugal discorda da decisão e já recorreu. A consequência deste diferendo pode vir a sentir-se nas obras de fundo previstas para o próximo ano e que deveriam requalificar a EN125 entre Olhão e Vila Real de Santo António.