Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Aga Khan. Visita pode render até 250 milhões de euros a Portugal

FOTO AKDN

Em Lisboa há dois dias, os mais de 45 mil ismaelitas vão gastar muito dinheiro até dia 12

As contas já estão feitas. Os mais de 45 mil fiéis xiitas ismaelitas que acompanham em Lisboa a semana de encerramento do Jubileu de Diamante do príncipe Karim Aga Khan vão deixar em Portugal entre 123 a 252 milhões de euros. A maioria dos visitantes chegou ontem e vai ficar até depois de dia 12, data do encerramento da cerimónia. Vêm principalmente dos Estados Unidos, Canadá e Reino Unido, mas também de Espanha e de outros países europeus bem como do resto do mundo.

Toda a Feira Internacional de Lisboa (FIL), Pavilhão de Portugal e Altice Arena estão alugados durante seis dias e esperam-se entre 40 a 60 mil espectadores para todas as atividades organizadas para a festa. Artistas são ao todo 700. Entre as exposições, o festival de cinema e os concertos a realizar durante a celebração, os ismaelitas presentes na capital do país dizem ainda querer conhecer Lisboa. Fazem parte da classe alta e média-alta (76%) e estão dispostos a pagar por noite 100 a 150 euros, por transportes por dia entre 30 a 50 euros, e entre 80 a 100 euros dia por refeição, no que respeita a compras o orçamento é mais alargado e prevê-se que gastem entre 200 a 300 euros por dia. As faixas etárias são múltiplas, mas acentuam-se aqueles que viajam em família. Tudo somado, por dia, cada fiel gastará durante a estadia entre 2050 mil e 4200 euros.

A cidade de Lisboa terá a ganhar em várias vertentes. Desde logo no alojamento, sobretudo em hotéis mas também em casas alugadas e em Airbnb, terá a ganhar ainda nos transportes. Estes visitantes utilizam táxis e Uber, alguns o metro. Comem em restaurantes e frequentam muitas lojas mas também supermercados.

O investimento direto associado à logística de toda a operação aponta para os 15 milhões de euros e será gasto no aluguer dos espaços (Altice Arena, FIL, Pavilhão de Portugal e Cinemas Vasco da Gama), no cachê dos artistas, que inclui viagens e estada, na comunicação e marketing e em custos outros. No Parque das Nações tudo estará em festa. Só para termos uma ideia, o programa International Arts Festival, que visa celebrar a arte e tradições culturais da comunidade, traz a Lisboa pintura, arquitetura, cinema, dança, música e teatro. Às artes e à cultura juntam-se a partir de dia 11, as grandes cerimónias religiosas que ocuparam o Pavilhão 1 da FIL.

  • “Quando o rei ia para Évora, ia toda a gente para Évora. Com Aga Khan vai ser igual”

    É “uma mistura de rei, Papa e Deus vivo” e move multidões, como ficará claro nos próximos dias, com a chegada de milhares de fiéis a Portugal, para assistir às comemorações dos seus 60 anos enquanto líder dos muçulmanos ismaelitas. Há quem ache que continuará a mover, depois de instalar a sede global da sua comunidade cá, à maneira dos reis antigos. Um ismaelita que veio de Londres de propósito para as celebrações avisa: “A nossa integração aqui foi bem-sucedida, mas que isso não se confunda com ausência de racismo e islamofobia em Portugal”