Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Campanha do Ministério da Saúde para consumo de água alvo de críticas

Thanasis Zovoilis/Getty

Associação argumenta que a campanha do Ministério da Saúde ignora os “esforços continuados de há vários anos” para melhorar e incentivar o consumo de água da torneira

A Associação Portuguesa de Distribuição e Drenagem de Águas criticou nesta sexta-feira que a campanha do Ministério da Saúde para consumo de água como parte de uma vida e alimentação saudável esteja focalizada na água engarrafada em embalagens de plástico. Em comunicado, a associação (APDA) alega que a campanha tem um "claro enfoque na água engarrafada em embalagens de plástico do tipo comercial" e que esta mensagem "é contrária à persistente promoção e sensibilização para o consumo da água da torneira, como a água mais segura, completa e adequada como bem alimentar, saudável e ambientalmente sustentável para o consumo humano".

A APDA adianta que teve a informação de que o Ministério da Saúde, através da Direção-Geral da Saúde (DGS), assinou um protocolo com a Associação Portuguesa dos Industriais de Águas Minerais Naturais e de Nascente (APIAM), para o lançamento de uma campanha, digital e televisiva, para o consumo de água destinado a uma vida e alimentação saudável.

A associação argumenta que a campanha do Ministério da Saúde ignora os "esforços continuados de há vários anos" do Ministério do Ambiente, Entidades Gestoras e Municípios, Entidade Reguladora dos Serviços de Águas e Resíduos e demais `Stakeholders´ relevantes do setor da Água e do Ambiente, como é o caso da APDA, para melhorar e incentivar o consumo de água da torneira. Refere, a propósito, que está em preparação o lançamento de uma campanha dirigida ao reforço do consumo da água da torneira e à sensibilização para a adoção de boas práticas de "poupança" e de "uso eficiente e sustentável da água", pelas entidades do Ministério do Ambiente/ Águas de Portugal.

No entender da APDA, a campanha do Ministério da Saúde/Direção-Geral da Saúde coloca de lado o conceito de "água da torneira", como "a água para consumo humano" e a água segura, ao mesmo tempo que "dá palco ao plástico", cujo uso "indiscriminado e descontrolado provoca sérios danos" em praticamente todos os setores, incluindo os recursos hídricos e os serviços de água.

"Não se compreende como num país de referência no que respeita à qualidade da água da torneira, que apresenta valores de excelência neste indicadores, veio uma entidade estatal, contrariando as mensagens de outra entidade estatal, pertencente ao mesmo Governo", conclui a APDA.