Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Suspeito do assassínio de Maëlys de Araújo investigado por agressão sexual a outra menor

GETTY

Nordahl Lelandais, suspeito de ter abusado da prima lusodescendente e de outra menor, está internado numa unidade psiquiátrica de uma prisão no leste de França

O francês Nordahl Lelandais, acusado do assassínio da lusodescendente Maëlys de Araújo e de um militar, está a ser investigado também por agressão sexual a uma prima de seis anos em França, divulgaram esta quarta-feira fontes ligadas ao caso.

O suspeito foi apresentado na terça-feira aos juízes encarregados do caso Maëlys, mas nada de novo saiu deste interrogatório, que também abordou essas novas suspeitas.

Nordahl Lelandais é suspeito de ter abusado da prima durante uma visita da família à casa dos seus pais em Domessin (leste da França), apenas uma semana antes da festa de casamento em que Maëlys desapareceu.

Depois de analisar o seu telemóvel, foram encontrados ficheiros de pornografia infantil, incluindo um vídeo mostrando uma criança, identificada como uma das suas primas, que o suspeito estava a tocar durante o sono da criança.

Contactada pela agência de notícias francesa AFP, a advogada dos pais da criança, Caroline Remond, que foi constituída como assistente em meados de junho, não confirmou a informação.

Nordahl Lelandais, um ex-treinador de cães do exército, de 35 anos, permanece na unidade psiquiátrica de uma prisão no leste de França.

O misterioso desaparecimento de Maëlys, de 8 anos, durante uma festa de casamento a 27 de agosto de 2017 abalou a França.
O corpo da lusodescendente foi encontrado enterrado em meados de fevereiro, depois de informações dadas por Lelandais. O francês disse que bateu na cara da criança depois da rapariga ter entrado em pânico após entrar no seu carro, matando-a "acidentalmente".

O ex-treinador de cães também admitiu ter matado um militar, Arthur Noyer, em abril de 2017.