Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Governo paga mais 47% por meios aéreos

Nuno Botelho

Contratos de hélis por ajuste direto, em vez de concurso, são mais caros para os cofres públicos

Os 28 helicópteros ligeiros que o Governo contratou na semana passada por ajuste direto para completar o dispositivo de meios aéreos para combater os fogos de 2018 revelam-se um negócio custoso para o erário público. Os quatro contratos agora celebrados com quatro empresas ascendem a pouco mais de €11,5 milhões, valor acima do montante que o Estado contava gastar na alocação daquelas aeronaves. No segundo concurso, o valor era de €15,7 milhões (para 2018 e 2019). Dividindo por dois, obtém-se um valor de €7,85 milhões/ano, o que torna os ajustes diretos 47% mais caros. O Governo argumenta que num quadro em que a operação se cinge a um “único ano é menos interessante em termos económicos para os operadores”.

Saiba mais na edição deste sábado do Expresso.