Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Menos pobres mas ainda desiguais

Foto José Caria

Os indicadores de desigualdade e pobreza melhoraram em 2016 mas ainda há 1,89 milhões de pessoas com menos de €454 por mês

Há menos pobres em Portugal?

Sim, segundo os dados definitivos do INE sobre 2016, publicados esta semana. A taxa de pobreza desceu de 19% para 18,3%, o que significa que em 2016 havia 1,89 milhões de pessoas a viver com menos de €454 por mês (o valor que atualmente define o limiar abaixo do qual se é considerado pobre). Há outro indicador — a pobreza ou exclusão social — que inclui também quem vive em privação material severa (sem capacidade para garantir uma série de bens) e quem está muito tempo fora do mercado de trabalho. Em 2017, quase um quarto da população (23,3%) vivia numa dessas situações ainda que sejam menos 196 mil pessoas do que em 2016. A par das melhorias, há um ligeiro agravamento da intensidade da pobreza e isso significa que os pobres estarão mais pobres, ou seja, com um rendimento ainda mais longe dos €454 mensais.

Quem vive em situação de pobreza?

As famílias com crianças são as que têm maior risco de pobreza, sobretudo as que têm três ou mais filhos e as famílias monoparentais. As crianças e os jovens são assim o grupo etário mais exposto (e ainda mais do que os idosos). Por outro lado, 45% dos desempregados são pobres e este é um dado “preocupante” aos olhos de Carlos Farinha Rodrigues, especialista em questões de pobreza e desigualdades. Só que ter um emprego já não chega: 10,8% dos trabalhadores são pobres. Também se sabe que quanto menor é o nível de escolaridade maior é a incidência da pobreza: mais de metade das pessoas que vivem com menos de €454 por mês não tem o ensino primário completo.

A pobreza em Portugal 
está abaixo da média europeia?

Ainda não, se olharmos para a taxa de pobreza ou exclusão social em 2015 que é o indicador mais recente com dados para todos os países e usado pela Comissão Europeia. Espanha, Itália ou Grécia têm uma taxa superior à de Portugal, ao contrário de França, Alemanha ou Holanda que estão mais abaixo, mas a média da UE era de 23,5%. É preciso ter novos dados para confirmar se a diminuição da pobreza em Portugal já colocou o país abaixo da média da UE. Contudo, o país já atingiu a meta europeia para 2020.

As desigualdades estão a diminuir?

Sim. O indicador que mostra o quão desigual é a distribuição dos rendimentos (o coeficiente de Gini) voltou a melhorar e atingiu o valor mais baixo desde 2003. Mas é preciso lembrar que, ainda assim, as famílias mais ricas em Portugal ganham em média quase dez vezes mais do que as mais pobres. E isso ainda espelha claramente o fosso que separa os mais pobres dos mais ricos.