Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Ryanair admite processar sindicato se este continuar com “falsas alegações” sobre violação da lei portuguesa

Kevin Coombs

Raynair garante que as acusações feitas pelo Sindicato Nacional do Pessoal de Voo da Aviação Civil são falsas. Para manter o seu “bom nome”, a companhia irlandesa ameaça com um processo judicial

A transportadora aérea Ryanair admitiu esta quarta-feira processar o sindicato de tripulantes de cabine se continuarem com as "falsas alegações" de violação da lei portuguesa, no âmbito da recente greve de trabalhadores de bases nacionais.

"Penso que podemos ir a tribunal. Se o sindicato continuar estas falsas alegações de que violámos a lei portuguesa, então penso que teremos de os processar, porque somos um grande empregador, um grande investidor em Portugal (...) e não estamos dispostos a ter o nosso bom nome e reputação manchados por alegações falsas feitas por um sindicato com representantes da TAP", afirmou Michael O`Leary, presidente executivo da transportadora.

Em declarações à agência Lusa, o responsável informou ainda que serão enviadas esta quarta-feira cartas ao Sindicato Nacional do Pessoal de Voo da Aviação Civil (SNPVAC) e à Autoridade para as Condições de Trabalho, enquanto entidade inspetora, garantindo que a lei portuguesa foi cumprida.

Desde o início da paralisação de três dias, no período da Páscoa, que o SNPVAC acusou a companhia aérea de violar a lei portuguesa, ao substituir trabalhadores em greve, incluindo com ameaças de despedimento.