Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Brasileiros são os que mais se naturalizaram portugueses em 2016

De acordo com os dados de 2016 divulgados pelo gabinete de estatísticas da UE, foram naturalizados em Portugal 25.104 estrangeiros (mais 23% do que no ano anterior), na sua maioria brasileiros (31,3%), seguindo-se cabo-verdianos (14,4%) e ucranianos (12,9%)

Portugal concedeu, em 2016, nacionalidade a 25.104 pessoas, mais 23% do que em 2015 e na sua maioria de brasileiros, grupo que ficou no 10.º lugar no total de requerimentos apresentados na União Europeia (21.500), segundo o Eurostat.

De acordo com os dados de 2016 hoje divulgados pelo gabinete de estatísticas da UE, foram naturalizados em Portugal concedeu 25.104 estrangeiros (mais 23% do que no ano anterior), na sua maioria brasileiros (31,3%), seguindo-se cabo-verdianos (14,4%) e ucranianos (12,9%).

Em 2016, Portugal teve ainda uma a terceira maior taxa de naturalização -- a relação entre o número de pessoas que adquiriram nacionalidade e o total de estrangeiros residentes no início do ano -- da UE: 6,5 por cada 100, depois da Croácia (9,7) e da Suécia (7,9).

Marrocos, com 101.100 naturalizações na UE, Albânia (67.500) e Índia (41.700) foram os três principais países de origem, estando o Brasil em 10.º lugar (21.500).

A maioria dos brasileiros adquiriu, em 2016, nacionalidade portuguesa (36,3%), seguindo a italiana (27%) e a espanhola (15,4%).

No mesmo ano, um total de 24.100 ucranianos adquiriam nacionalidade em países da UE, a maior parte na Alemanha (19,2%), seguindo-se a Roménia (16,8%) e Portugal (13,5%).