Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Roubaram quatro quadros do Parlamento francês e ninguém tinha notado

JOEL SAGET/ getty Images

Autoridades só deram conta do caso durante a realização do inventário anual

Os quatro quadros estavam pendurados nas paredes de escritórios da câmara baixa do Parlamento francês: num dia estavam lá, noutro já não. No entanto, o desaparecimento apenas foi notado no final do ano passado quando foi feito o habitual inventário na Assembleia Nacional, em Paris. Desde então, soube-se agora, tem sido conduzida uma investigação mas “nada” permitiu resolver o caso.

Agora, conta o jornal britânico “The Guardian”, a polícia está a investigar o desaparecimento, confirmou o chefe de gabinete do presidente da Assembleia. “As investigações estão em curso mas ainda nada nos levou até ao encontro dos quadros”, referiu um porta-voz.

Os quadros em causa são da autoria de dois pintores modernos franceses, Hervé Télémaque e Richard Texier, do grego Takis (esta pintura pertence ao Fundo Nacional de Ante Contemporânea) e, por último, a um artista desconhecido. Segundo a Agence France-Presse, foi apresentada queixa e a investigação está nas mãos da Banditry Repression Brigade de Paris, que normalmente lida com roubos de obras de arte.

O inventário, tal como já é habitual, é realizado no final de cada ano por uma agência estatal que tem como principal responsabilidade manter o registo de onde se encontra cada obra de arte e mobílias que pertence ao Estado.

Segundo o “The Guardian”, França tem um património nacional de cerca de 430 mil obras de arte que estão expostas em edifícios públicos. Um relatório de 2016 dava conta que mais de 22 mil estavam desaparecidas.