Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Um “gesto criminoso”. As explicações do Governo sobre o incêndio na embaixada de Portugal em Estocolmo

Fredrik Sandberg / EPA

O ministro dos Negócios Estrangeiros português diz que se tratou de “um incidente”, provocado, ao que tudo indica, por uma “pessoa que se encontrava perturbada”. Homem fugiu, mas polícia confirmou entretanto ter feito uma detenção

“Tudo leva a crer que terá sido um ato isolado de uma pessoa que estava perturbada”, declarou esta quarta-feira o ministro dos Negócios Estrangeiros, explicando o que esteve na origem do incêndio desta manhã na embaixada de Portugal, em Estocolmo. A polícia confirmou, entretanto, ter feito uma detenção.

Segundo Augusto Santos Silva, o caso está a ser ancarado como “um incidente”. “Neste momento, todas as informações que temos apontam para a pista de uma pessoa que se encontrava perturbada, portanto um ato tresloucado, de uma pessoa cujo móbil ainda não conhecemos”, acrescentou. As autoridades portuguesas afastam, por ora, a hipótese de ato terrorista.

Os media suecos adiantam que 14 pessoas ficaram feridas, uma informação não confirmada por Augusto Santos Silva. “Não estava ninguém a ser atendido nessa altura”, declarou, pelo que o Ministério dos Negócios Estrangeiros não tem registo de feridos entre o pessoal da embaixada ou pessoas que estivessem no local.

“As informações que recebi dos nossos funcionários é que poderá haver problemas com duas ou mais pessoas, mas por inalação de fumo, sem gravidade”, precisou o ministro.

O chefe da diplomacia portuguesa esclareceu que o homem entrou na secção consular cerca das 11h50 locais (10h50 em Lisboa), exigindo falar com o responsável. O pedido foi satisfeito, mas antes mesmo da conversa que tinha exigido teve o gesto de provocar o incêndio, atirando qualquer coisa, que não se percebeu ser um objeto ou um líquido inflamável.

Sobre o indivíduo, o chefe da diplomacia portuguesa explicou tratar-se de alguém bem constituído, com aparência caucasiana, europeia, e que se expressou usando a língua inglesa, mas também proferindo frases em espanhol. Durante o tempo em que esteve na embaixada, disse “frases muito inconsequentes sobre alegados problemas de tráfico de seres humanos em Portugal”.

As últimas atualizações referem que no local estiveram ainda cerca de 80 bombeiros, apoiados por 12 viaturas, prevendo-se que a operação fique concluída cerca das 18h locais (17h em Lisboa).

O embaixador português em Estocolmo estava fora das instalações, em reunião, referiu Santos Silva, confirmando que “os bombeiros chegaram muito rapidamente” e que “além da embaixada portuguesa, também as embaixadas da Argentina e da Tunísia estão instaladas” no mesmo local.