Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Rui Moreira nomeia deputado municipal do PSD para a administração da Casa da Música

Rui Moreira foi a surpresa das autárquicas de 2013. Este domingo voltou a ganhar e conseguiu a maioria absoluta

Rui Duarte Silva

Escolha de deputado municipal Luís Osório, militante laranja de longa data, para administrador não-executivo da Casa da Música gera desconforto no PSD. Líder da bancada social-democrata na Assembleia Municipal, Alberto Machado, desconhece oficialmente a indicação e lamenta que o partido não tenha sido consultado

Isabel Paulo

Isabel Paulo

Jornalista

Luís Osório, um dos seis deputados do PSD na Assembleia Municipal, foi indicado por Rui Moreira e Eduardo Vítor Rodrigues para representar a Câmara do Porto e os restantes municípios da Área Metropolitana do Porto na Casa da Música, como administrador não executivo. A nomeação está a gerar desconforto no PSD local, em especial junto da ala mais próxima de Rui Rio, que encara a escolha de Luís Osório como “uma manobra de Rui Moreira de dividir para reinar" na Assembleia Municipal (AM), órgão autárquico onde o movimento independente 'Porto, O Nosso Partido' não tem maioria absoluta.

Alberto Machado, presidente da Concelhia do PSD/Porto, afirmou ao Expresso que apenas soube da nomeação do deputado Luís Osório “informalmente”, razão pela qual se recusa a comentar a opção de Moreira. O também líder da bancada laranja na AM não deixa, contudo, de lamentar que o partido não tenha sido “consultado”.

Luís Osório, consultor de sistemas de Gestão de Qualidade de 44 anos, confirmou ao Expresso o convite de Rui Moreira, que aceitou por entender ser relevante para o partido. “A Casa da Música é uma grande instituição do Porto e da região e é importante que o PSD esteja representado nas mais marcantes entidades da cidade”, defende o deputado municipal, que adianta ter comunicado a decisão ao líder da sua bancada.

Militante social-democrata desde a juventude e presidente da Comissão Política da Secção Ocidental do Porto, o maior núcleo do PSD da cidade e onde milita Rui Rui, Pedro Duarte ou Paulo Rangel, Osório rejeita que o convite seja uma forma de condicionar o seu voto na AM a favor do movimento independente, garantindo que continuará a votar como até agora: “A favor ou contra consoante as propostas sejam as melhores ou não para o Porto”.

O deputado recusa ainda que a sua indicação possa causar embaraço por partir do movimento que governa o Porto, lembrando que Álvaro Almeida, o único vereador do partido no executivo, também integra a convite da Câmara do Porto o Conselho Municipal de Economia do Porto, designado 'Casa dos 24', órgão consultivo para o desenvolvimento e investimento do município. De acordo com fonte concelhia, “esta é mais uma tentativa do presidente da Câmara comparar votos com convites, como já o fez no mandato passado”, alusão ao facto de Ricardo Valente, independente eleito nas listas de Luís Filipe Menezes, ter aceitado ser vereador com o pelouro da Economia de Rui Moreira e à retirada da confiança política ao vereador Amorim Pereira, que no anterior mandato votava por norma ao lado dos independentes.

Ao Expresso, fonte da Câmara do Porto refere que a indicação se deve às competências de Luís Osório para o lugar e sendo Rui Moreira independente “não liga à cor dos cartões partidários”. Luís Osório vai ocupar o lugar de Rosário Gambôa, próxima do PS, que em janeiro deixou a presidência do Instituto Politécnico do Porto.