Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Receitas digitais para todos os médicos

Estado oferece prescrição eletrónica à totalidade dos clínicos em exercício no país. Medida é mais um passo para o fim das receitas em papel

A Ordem dos Médicos (OM) e a empresa de Serviços Partilhados do Ministério da Saúde (SPMS) assinam esta quarta-feira um protocolo para avançar mais um pouco no caminho para o fim do receituário em papel. O acordo vai permitir que todos os clínicos que exercem em Portugal possam aceder à prescrição eletrónica.

A aplicação informática necessária para passar receitas digitais, Prescrição Eletrónica Médica (PEM), vai ser disponibilizada gratuitamente e sem limite de quantidade. Isto é, a PEM deixa de estar disponível apenas para os médicos do Serviço Nacional de Saúde e para pequenos subscritores (com menos de 40 receitas por mês) do sector privado.

Para o bastonário da OM, Miguel Guimarães, "é um grande avanço que vai facilitar a rotina profissional de milhares de médicos sem custos adicionais". A ferramenta vai permitir também maior segurança dos dados clínicos e a sua utilização em qualquer contexto, público ou privado, contribuirá para uma poupança individual na atividade clínica diária.

A Ordem vai agora "promover ações de sensibilização e formação em tecnologias de informação nas secções regionais e distritais, destinadas aos médicos que ainda recorram às receitas manuais". A ideia é que nenhum profissional fique à margem deste avanço.