Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Hot Club faz 70 anos mas celebra o ano inteiro

Erika Goldring/Getty

A data é assinalada este domingo com um concerto na sede da instituição, mas as comemorações vão decorrer ao longo de todo o ano. Na próxima semana, o saxofonista Joe Lovano estará em Lisboa, para um concerto em trio e uma 'masterclass'

O Hot Club de Portugal, em Lisboa, assinala este domingo os 70 anos desde a sua fundação com um concerto do seu septeto, no arranque de uma semana que vai contar com o saxofonista norte-americano Joe Lovano.

O concerto acontece a partir das 22h30, com entrada livre, na sede do Hot Clube, na praça da Alegria, n.º 48.

O mais antigo clube de jazz europeu em atividade foi fundado oficialmente a 19 de março de 1948, quando Luiz Villas-Boas, melómano e fundador do clube, preencheu a ficha de sócio número um.

É uma reprodução dessa ficha, afixada na parede junto à bilheteira, que dá as boas vindas a quem entra no pequeno espaço da praça da Alegria, em Lisboa.

A semana mais intensa de programação dos 70 anos do clube de jazz acontecerá de segunda-feira ao próximo domingo, com a presença do saxofonista Joe Lovano para um concerto em trio, uma 'masterclass' na Escola de Jazz do Hot e um concerto com a orquestra do clube, no Teatro Municipal São Luiz.

Em janeiro, em entrevista à Lusa, a presidente do Hot Club, Inês Homem Cunha, disse que os 70 anos da instituição vão ser comemorados ao longo de todo o ano de 2018.

Entre os destaques da programação apontados pela dirigente estava a realização do Kids Can, um projeto europeu itinerante para crianças e jovens, apoiado pelo programa Europa Criativa, do qual o HCP faz parte, juntamente com as organizações JazzDanmark (Dinamarca) e JazzKaar (Estónia).

"É uma grande vitória na vertente da escola para crianças e adolescentes. Espero que tenha uma adesão muito grande de pessoas que queiram saber como é que ensinamos jazz a crianças", sublinhou Inês Homem Cunha.

Em setenta anos de história, o Hot Club de Portugal terá vivido o momento mais difícil em 2009, quando a cave onde funcionava há décadas, num edifício na praça de Alegria, ficou destruída num incêndio, sobrando hoje apenas a fachada do prédio.

Dois anos depois, em 2011, o Hot Club retomou a atividade duas portas ao lado da cave antiga, num espaço mais moderno, mas, ainda assim, pequeno. E com a ficha de sócio de Luiz Villas-Boas a relembrar quando tudo começou, em 1948.