Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Continuidade da garraiada na Queima das Fitas de Coimbra vai hoje a referendo

Em fevereiro, a Comissão Organizadora da Queima das Fitas decidiu “propor a abolição da garraiada como evento tradicional da festa” depois de protestos e discussão no seio académico. Esta terça-feira, o futuro da garraiada vai a referendo, entre as 10h30 e a meia-noite

A continuidade da garraiada no programa de festas da Queima das Fitas vai esta terça-feira a referendo, que arranca às 10h30 e termina à 00h, com mesas de voto em todas as faculdades da Universidade de Coimbra.

As mesas espalhadas pelas faculdades e departamentos da Universidade de Coimbra vão estar abertas entre as 10h30 e as 18h30, sendo que a votação decorre também entre as 21h30 e as 00h, na sala de estudo da Associação Académica de Coimbra, num referendo organizado pela Comissão Organizadora da Queima das Fitas (COQF).

Em fevereiro, a COQF decidiu, "por unanimidade, propor a abolição da garraiada como evento tradicional da festa".

Face a essa posição, o Conselho de Veteranos e a Associação Académica de Coimbra (AAC) - entidades tutelares da Queima - acordaram em realizar um referendo aos estudantes da Universidade de Coimbra sobre o futuro da garraiada.

A decisão de propor a abolição da garraiada surge depois de, em 2016, a garraiada ter sofrido algumas alterações (foi retirada a lide do novilho a pé e a cavalo), face a protestos e discussão no seio da academia contra a realização do evento.

Em 2016, foi a Queima das Fitas do Porto que optou por suspender a garraiada académica, uma medida justificada pela "fraca adesão dos estudantes" àquela atividade nos últimos anos e à "queda da tradição tauromáquica".

A Queima das Fitas de Coimbra realiza-se este ano de 4 a 11 de maio.