Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Doença renal: o que precisa de saber

Os motivos que o devem levar a preocupar-se com a doença renal são o ponto de partida do projeto que junta Expresso e ANADIAL para desmistificar e dar a conhecer esta doença e as suas particularidades

Uma doença que afeta dezenas de milhares de portugueses, com impacto na qualidade de vida dos doentes e, ainda assim, pouca falada. É um diagnóstico possível da doença renal, patologia que junta Expresso e ANADIAL (Associação Nacional de Centros de Diálise) para, ao longo dos próximos dias, dar a conhecer os custos e benefícios do seu tratamento em Portugal.

Como se trata de uma doença com poucos sintomas, a maioria das pessoas com doença renal crónica não sabe que é portadora desta doença que, de acordo com os dados mais recentes, afeta 8 a 10% da população adulta. Os doentes com hipertensão arterial, diabetes, obesidade e história familiar de doença renal são populações de risco para o desenvolvimento desta doença.

A ausência de sintomas visíveis nas fases iniciais faz com que, em muitos casos, o diagnóstico possa ser tardio pelo que um rastreio de despistagem mais ativo pode fazer toda a diferença. Só assim é possível delinear intervenções terapêuticas que atrasam a progressão da doença para fases mais avançadas, em que os doentes necessitam de tratamento de substituição da função renal (diálise e hemodiálise) ou, em casos extremos, transplantes.

Aposta que poderá permitir diminuir o impacto económico da doença não só para o próprio doente como também para o sistema de saúde, cujos custos aumentam sem uma política e maior prevenção.

A caminho do congresso em Vilamoura (22 e 23 de março) onde todas estas questões vão estar em análise, conheça o retrato da doença em Portugal ao longo das próximas duas semanas no nosso site e nas plataformas sociais do grupo Impresa.

  • Uma "doença muda" à espera de ser ouvida

    Na data em que se celebra o Dia Mundial do Rim, conheça o projeto que analisa o impacto da doença renal em Portugal que junta Expresso e ANADIAL nas próximas duas semanas a caminho de um debate final a 22 de março em Vilamoura