Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Italianos estão a acorrer às urnas em ambiente de opereta

O inesgotável Berlusconi alimenta esperanças de que os votos do sul decidam a sua vitória

FOTO Max Rossi/reuters

Eleições italianas estão a decorrer com boa adesão dos votantes, apesar de haver 30% de indecisos e das urnas em Itália e Palermo terem estado fechadas de manhã por causa de boletins de voto falsos

As eleições legislativas em Itália estão a registar uma afluência positiva de votantes, apesar de haver 30% de italianos indecisos e de o dia de votação ter sido marcado por episódios de... opereta. A manhã das eleições foi ainda marcada pelos protestos de uma mulher que surgiu de tronco nu no momento em que Sílvio Berlusconi ia votar.

Até ao meio-dia, segundo o Ministério do Interior, cerca de 20% dos italianos já tinham votado, o que não inclui informações de Roma e Palermo, cidades que atrasaram o início da votação devido à impressão errada de cédulas de voto. Nas eleições de 2013, a afluência dos votantes neste período tinha sido inferior, de 14%.

"É o evento político mais importante que está a acontecer no mundo", diz ex-estratega da Casa Branca
As urnas de voto para as eleições italianas serão encerradas às 23h (horário local) e logo em seguida começarão as contagens.

"As eleições em Itália são o mais importante acontecimento político que está a acontecer no mundo", garantiu ao jornal The Telegraph o anterior chefe estratégico da Casa Branca, Steve Bannon, que está em Roma com o objetivo de acompanhar em direto o processo legislativo em Itália.

"Mais do que o Brexit e até mais do que a revolução de Trump nos Estados Unidos, a Itália está neste momento aos olhos do mundo e na vanguarda do que pretende ser o movimento de soberania, com as pessoas a dizer que tentaram jogar pelas regras, em governos de centro-esquerda e de centro direita, em que nenhum resultou", frisou ainda Steve Bannon.