Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Próxima paragem tecnológica? O apeadeiro da inteligência

reuters

Seja em redes móveis mais poderosas ou na conectividade entre dispositivos, a inteligência vai marcar o futuro próximo. Tópico a assumir diferentes facetas no Mobile World Congress

Cada ano que passa, a feira de dispositivos móveis de Barcelona tem seguido sempre a lógica do maior e melhor - e a edição deste ano não tem sido exceção. Os anúncios e previsões têm preenchido os dias, assim como a exibição de dispositivos que podem (ou não) ser parte do futuro. O elo que os liga a todos é a inteligência artificial. Tecnologia mais autónoma e eficiente tem sido um dos grandes temas e encontra-se representada um pouco por todo o lado. Fique a saber como com alguns exemplos.

5G

A próxima etapa na evolução das redes móveis está presente em praticamente todos os stands e promete marcar o futuro. Marcas de tradição neste campo, como a Qualcomm e a Intel, deram a conhecer as suas propostas de processadores preparados para a nova tecnologia, com a Huawei a mostrar que pode ter também uma palavra a dizer na luta. A T-Mobile anunciou que vai construir redes em 30 cidades este ano, à medida que as experiências de uma rede que promete mais velocidade, descentralização e volume de dados seguem a todo o vapor.

Cidades do futuro

Smart Cities são um tópico em voga e o Mobile World Congress não escapou à tendência, com empresas como a IBM ou a Cisco a mostrarem o trabalho que estão a desenvolver em diferentes cidades. Exemplos como a monitorização do tráfego com recurso a sensores em Portland ou um projeto piloto em Adelaide (na Austrália) para preparar a introdução de veículos autónomos, respetivamente, mostram que a inovação está a avançar.

Carros inteligentes

BMW, Mercedes, ou Huawei e outras marcas, todos estiveram presentes para mostrar a evolução numa tecnologia que merece claramente uma aposta visível dos principais nomes da indústria. Sistemas operativos mais inteligentes, integrados no software dos carros, maior autonomia e sincronização completa entre dispositivos foram algumas das expressões chave que se ouviram por entre os pavilhões da Fira Barcelona.

Blockchain

A tecnologia de “descentralização por nódulos” (que crescem com cada novo utilizador) que está por trás das criptomoedas, como o Bitcoin, também foi destacada, com empresas como a Rakuten ou a Wibson a anunciaram novas aplicações de uso empresarial baseado naquilo que muitos especialistas defendem ser o futuro do registo e execução de transações.

Representações digitais

Parece algo tecnologicamente menos impressionante que o resto, mas a apresentação de emoções com recurso a animações foi um dos alvos preferenciais do certame, desde o anúncio da Samsung de uma ferramenta no novo S9 que permite criar um avatar emoji com recurso a uma selfie, ou de tecnologias de mapeamento de caras que parecem prestes a dar o próximo passo de estarem disponíveis para o público em geral. Sem esquecer o assistente digital inteligente da empresa portuguesa Wit Software, que responde a oito das 24 emoções representadas pelo ser humano.

Realidade aumentada e virtual

Duas tecnologias que, de certa forma, já fazem parte da realidade mas que podem conhecer novos avanços, sobretudo nas áreas do retalho e da educação. Empresas, como a Vuzix Blade, apresentarem óculos de realidade aumentada que aumentam a definição e eficácia dos objetos, enquanto a imersão virtual continua a ser alvo de aposta visível por nomes como a Samsung ou a Telefonica.