Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

SIC suspende próximo episódio de Supernanny

A psicóloga Teresa Paula Marques é a Supernanny, que se assume como mediadora entre os pais e as crianças no programa

d.r.

Decisão do Tribunal que obrigava a estação televisiva a usar filtros não permite tecnicamente que Supernanny vá para o ar no próximo domingo

Hugo Franco

Hugo Franco

Jornalista

A SIC vai suspender a emissão do próximo Supernanny, que seria emitido no domingo à noite. Seria o terceiro episódio do programa. A informação foi avançada ao Expresso por fonte da estação de Carnaxide que vai emitir um comunicado sobre este tema nas próximas horas.

A decisão foi tomada depois do despacho do Tribunal de Lisboa Oeste, com data desta sexta-feira, e a que o Expresso teve acesso, em que a magistrada Cláudia David Alves decidiu, provisoriamente, determinar que a SIC pudesse emitir o terceiro episódio com a condição de utilizar "filtros de imagem e de voz, quer dos menores, quer dos seus progenitores, quer de quaisquer outras pessoas que intervenham ou participem no programa e que, por vínculo familiar ou com os menores, permitam identificá-los".

Só que, segundo fonte da SIC, é algo que tecnicamente inviabiliza a transmissão do programa.

Caso a SIC não acatasse a ordem judicial, teria de pagar 15 mil euros por cada dia no atraso do incumprimento.

Em relação aos dois primeiros programas já emitidos, o tribunal considera que não existe razão justificativa de "especial urgência" que imponha o decretamento de providência sem audição das famílias que neles participaram.

O Ministério Público, que representa crianças e jovens que já participaram no Supernanny, tinha intentado contra a SIC uma ação especial de tutela da personalidade. E pediu ao Tribunal que decretasse, a título provisório e de imediato, que fosse retirado ou bloqueado o acesso a qualquer conteúdo dos dois programas Supernanny, já exibidos pela SIC. E ainda que o próximo programa não fosse exibido.

O comunicado da SIC na íntegra

“A SIC confirma a receção de uma decisão do Tribunal Judicial da Comarca de Lisboa Oeste, que inviabiliza a exibição do terceiro episódio do programa “SuperNanny”. As restrições impostas equivalem, na prática, a alterações substanciais do formato original, tal como foi transmitido em mais de vinte países. A SIC irá acatar esta decisão, que lamenta.Quer

emos, por isso, pedir, em primeiro lugar, as desculpas aos nossos telespetadores que acompanharam o “SuperNanny” e que reconhecem a sua importância enquanto formato pedagógico e educativo. O programa, que é exibido em países como o Reino Unido ou a Suécia, em canais como a Channel 4 ou a TF1, teve sempre o objetivo de auxiliar pais e educadores a melhorarem a relação com os seus filhos, ajudando a estabelecer regras e limites, criando assim uma dinâmica familiar mais saudável.

Além disso, o programa tem o mérito de estimular em Portugal um amplo debate público sobre as questões da parentalidade, discussão cada vez mais atual, numa altura em que as nossas fotografias e vídeos, bem como as das nossas crianças e jovens, são partilhadas à velocidade de um “post” numa rede social.

A SIC continuará a defender os seus interesses e os dos seus telespetadores e irá juridicamente demonstrar a validade dos seus argumentos, bem como a defesa daquilo que acredita ser a liberdade de programação das estações de televisão.”

  • PGR quer proibir programa Supernanny

    Procuradoria-Geral da República pede ao Tribunal que decrete, a título provisório e de imediato que seja retirado ou bloqueado o acesso a qualquer conteúdo dos programas já exibidos. E que o programa a emitir no próximo domingo não seja exibido