Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Urban Beach reabre este sábado

António Pedro Santos / Lusa

Donos da discoteca garantem ter reforçado o sistema de videovigilância e de deteção de incêndios. Há mais uma saída de emergência e uma outra equipa de segurança privada

A discoteca Urban Beach vai reabrir as portas já no próximo sábado, dia 27. O estabelecimento de diversão noturna, que havia sido encerrado no início de novembro pelo Ministério da Administração Interna após a divulgação das imagens de violência de seguranças privados contra clientes na noite de Halloween, reforçou o sistema de videovigilância e de deteção de incêndios. Tal como havia sido exigido pelo Governo.

"De 62 passamos a ter 95 câmaras de vigilância, ficando as áreas públicas e técnicas totalmente cobertas pelo circuito interno de CCTV", garante Paulo Dâmaso, administrador do Grupo K, proprietário do clube noturno.

Também foram feitas melhorias no sistema de deteção de incêndios bem como aberta mais uma saída de emergência, passando atualmente a existir cinco saídas.

Tal como foi noticiado logo após a polémica, o Urban rescindiu o contrato com a empresa de segurança PSG, tendo contratado uma nova, a Anthea. "Nas noites de maior afluência teremos 14 elementos de segurança privada", acrescenta Paulo Dâmaso. Um número semelhante ao passado recente.

Esta quinta-feira, tal como o Expresso anunciou em primeira mão, o ministro da Administração Interna (MAI), Eduardo Cabrita, deu luz verde para a reabertura do Urban, depois do Comando Metropolitano de Lisboa da PSP e da Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC) terem informado a tutela que foram implementadas as condições de segurança, e outras medidas, exigidas por essas entidades aos proprietários do espaço.

Como foi referido, as alterações incluem a reorganização da segurança privada e questões relacionadas com o licenciamento, o sistema de videovigilância e o sistema de segurança contra incêndios, explicou ao Expresso uma fonte do MAI.

A medida de encerramento, decretada a 3 de novembro de 2017, foi motivada pela agressão a dois jovens, à porta da Urban, por três seguranças do espaço. O episódio foi filmado e amplamente divulgado nas redes sociais e meios de comunicação. Na altura, a decisão do ministro foi também suportada pela 38 queixas sobre a Urban Beach apresentadas à PSP desde o início de 2017, por supostas "práticas violentas ou atos de natureza discriminatória ou racista".