Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Português ganha um dos maiores prémios de engenharia do mundo  

Rui Duarte Silva

Rui Reis, vice-reitor da Universidade do Minho, vai receber 400 mil euros para criar modelos do cancro em 3D

Virgílio Azevedo

Virgílio Azevedo

Redator Principal

O “Harvey Engineering Research Award”, atribuído pela Instituição de Engenharia e Tecnologia (IET), que tem 170 mil membros de 150 países, acaba de distinguir Rui Reis, professor catedrático, investigador e vice-reitor da Universidade do Minho (UM).

O prémio de 400 mil euros será entregue em março em Londres e vai apoiar a criação de modelos inovadores e funcionais de cancro em 3D, que possam ajudar a prever a eficácia de medicamentos, evitando os testes em animais e alguns ensaios clínicos.

Rui Reis ganhou um dos maiores troféus mundiais de engenharia devido a “décadas de investigação de excelência na área da engenharia de tecidos 3D para novas terapias regenerativas e o desenvolvimento de modelos de doença”, afirma o júri.

O cientista, diretor do grupo de investigação 3B’s - Biomateriais, Biodegradáveis e Biomiméticos, da UM, diz que “um dos maiores obstáculos que os cientistas ligados ao desenvolvimento e à avaliação de novos fármacos e terapias contra o cancro enfrentam, é o facto de os modelos pré-clínicos serem incapazes de prever, de uma forma fiável, se um determinado fármaco vai atuar contra o cancro e, ao mesmo tempo, ter uma toxicidade aceitável no organismo humano”. John O’Reilly, presidente do comité de seleção, disse que “o prémio é o reconhecimento de um notável percurso de investigação e impressionante recorde de publicações na área da engenharia de tecidos e medicina regenerativa”.