Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Dezenas de pessoas prestam última homenagem a Belmiro de Azevedo

André Kosters/Lusa

O corpo do empresário encontra-se na Igreja portuense de Cristo Rei, estando a missa de corpo presente marcada para as 16h

Dezenas de pessoas entraram esta quinta-feira, pelas 11h, na Igreja de Cristo Rei, no Porto, para prestar uma última homenagem a Belmiro de Azevedo, empresário que morreu na quarta-feira aos 79 anos.

O corpo do empresário encontra-se na Igreja de Cristo Rei desde quarta-feira à noite, estando a missa de corpo presente marcada para as 16h, seguida de uma cerimónia fúnebre reservada à família.

Até às 11h a entrada para a igreja esteve a ser feita por uma porta lateral, sendo que alguns dos presentes preferiram ficar do lado de fora. Foi também cerca dessa hora que chegou a Cristo Rei Nuno Azevedo, filho do empresário.

Entre algumas dezenas de pessoas, no local esteve já esta manhã o presidente da Câmara do Porto, Rui Moreira, acompanhado pelo presidente da Assembleia Municipal, Miguel Pereira Leite.

Tal como Belmiro de Azevedo, também a sua irmã Ana Augusta Azevedo morreu na quarta-feira e vai esta quinta-feira a enterrar, disse, entretanto, o familiar Celso Santana.

A fonte, que é também presidente da freguesia sede do Marco de Canaveses, de onde a família é originária, afirmou que Ana Augusto Azevedo estava internada no Instituto Português de Oncologia do Porto.

A missa de corpo presente de Augusta Azevedo será às 14h, numa outra Igreja do Porto.

  • “Uma trágica perda para a sociedade portuguesa”: as reações à morte de Belmiro de Azevedo

    “Uma das mais marcantes figuras empresariais do período democrático”, “um empresário e um empreendedor ímpar em Portugal”, “verdadeiramente visionário” e “exemplo de retidão e solidariedade”. Do sector político aos sectores económico, social, académico e desportivo, foram muitos aqueles que prestaram homenagem a Belmiro de Azevedo, que morreu esta quarta-feira, aos 79 anos

  • Ousado, inovador, arrogante, frontal: “Pode enriquecer-se de forma honesta e não tenho quaisquer remorsos”

    Belmiro de Azevedo morreu esta quarta-feira aos 79 anos, no Hospital da CUF. A saúde do empresário estava debilitada já há algum tempo e não resistiu a uma complicação pulmonar. O “Sr. 4% do PIB”, como chegou a ser apresentado em 2007, tinha preparado a sua sucessão com tempo. E, em discurso direto, sempre deixou claro o seu pensamento sem papas na língua. “Marques Mendes nem para porteiro da Sonae servia porque demorava demasiado tempo a explicar como se entra nas instalações” foi uma das suas frases que fizeram história