Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Belmiro de Azevedo. Irmã mais velha morre no mesmo dia

Ana Augusto de Azevedo também morreu esta quarta-feira, no Porto, vítima de doença prolongada

Ana Augusto Azevedo, a mais velha das irmãs de Belmiro de Azevedo, morreu hoje, no Porto, vítima de doença prolongada.

A notícia da morte de Ana Augusta surge apenas algumas horas depois da Sonae ter informado que o empresário Belmiro de Azevedo, um dos homens mais ricos de Portugal, tinha morrido hoje, aos 79 anos.

Belmiro de Azevedo era o mais velho dos oito irmãos e, na biografia "Belmiro História de uma Vida", Magalhães Pinto conta que "os mais novos lhe obedecem".

Quando Belmiro consegue trazer a família do Marco de Canaveses para o Porto, apenas Ana Augusta, que tinha começado a trabalhar como costureira, não aceitava muito bem a liderança do irmão, habituado a "algumas mordomias" em casa, conta o biógrafo.

Uma das citações de Ana Augusta neste livro refere-se ao funeral do padrinho de Belmiro, que o recebeu aos 11 anos, quando veio estudar para o Porto.

"No funeral do padrinho, os pais vieram a conhecer um professor de Matemática do Belmiro no liceu, muito exigente, de nome Peres. Aí, o pai lamuriou-se, dizendo que agora ia ser muito difícil manter o filho a estudar no Porto. E esse professor respondeu: Não tem problema nenhum, porque o Belmiro vai para minha casa. É um estudante muito sério. Até digo mais. Quando lhe dou um 15, é porque ele merece 18. Faço isso com todos, para não se estragarem", recorda Ana Augusta sobre este momento da vida do irmão.

Magalhães Pinto diz que Belmiro foi, então, ocupar um pequeno quarto em casa deste professor e o reitor do liceu e o chefe da secretaria ajudaram-no a arranjar os primeiros explicandos.

No entanto, a solução não durou muito tempo. O professor foi dar aulas para Moçambique e Belmiro ficou novamente sem alojamento , acabando por continuar os estudos por conta própria, com o que ganhava nas explicações e duas bolsas de estudo que ganhou, uma dos serviços sociais da Previdência, outra da Fundação Calouste Gulbenkian.

Numa entrevista para a sua biografia, Belmiro de Azevedo fala desta irmã. "A Ana Augusta sempre foi muito inteligente. Muito criativa, empreendedora. Penso que sentiu alguma revolta por não ter chegado a tempo de ter alguma formação. É impulsiva. Talvez mais do que eu", disse sobre ela.