Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

O dia do peru

BRIAN SNYDER

A quarta quinta-feira de novembro é Dia de Ação de Graças nos EUA. O "dia do peru" também se celebra por cá, entre a comunidade americana e não só. Mas afinal, o que festeja no "Thanksgiving"?

Para o povo americano, o Dia de Ação de Graças é quase tão importante como a nossa consoada de Natal. À mesa não pode faltar um elemento comum às duas festas, o peru recheado, e outras iguarias, como a tarte de abóbora. Desde 1863 que este dia é feriado nos Estados Unidos, mas o "Thanksgiving" remonta há bem mais tempo. As origens deste dia confundem-se com a História da própria América, quando o primeiro barco de colonos ingleses desembarcou naquele território, em 1620. Chamaram-lhe o Mayflower, e a bordo seguiam 102 protestantes que fugiam à perseguição religiosa em Inglaterra. Os 66 dias que a viagem durou foram marcados por fome e doenças, que dizimaram cerca de metade dos passageiros. Quando os "peregrinos" chegaram à América, a sua prioridade foi construírem uma casa para se abrigarem do inverno. Reza a História que a ajuda de dois índios americanos - Samoset e Squanto -, foi determinante para a sobrevivência dos novos colonos, graças aos conselhos sobre agricultura que lhes deram. Ensinaram-lhes a extrair a seiva de árvores, a evitar plantas venenosas, a lavrar os campos, a plantar milho e a caçar. E em Outubro de 1621, chegada a altura das colheitas, os peregrinos foram surpreendidos pela fartura da safra. Para celebrar, o governador dos peregrinos, William Bradford, decidiu agradecer a Deus com um banquete de três dias. E convidou os dois nativos americanos que os ajudaram a escapar da fome.

Gravura de 1870 a representar o Dia de Ação de Graças nos EUA

Gravura de 1870 a representar o Dia de Ação de Graças nos EUA

Wikicommons

Esse dia marca o primeiro Thanksgiving americano, aquele em que se deu graças pela abundância e se celebrou em família, na cidade de Plymouth, em Massachussets (ex-Nova Inglaterra), embora haja registos históriocos anteirores. A tradição atravessou os séculos, até 1863, quando o Presidente Abraham Lincoln decretou que a data seria celebrada na última quinta-feira de novembro e que seria feriado. Curiosamente, o Dia de Ação de Graças também é celebrado no Canadá, mas na segunda segunda-feira de outubro. Desde então, o "Dia do Peru", como lhe chamam, nunca perdeu popularidade nos EUA. Há paradas militares, comemorações, e até direito ao "perdão presidencial" de um peru, na Casa Branca. É considerada a data de início das festividades da época natalícia, a que se seguem o Natal e o Fim de Ano. O "Thanksgiving" é celebrado em todos os locais onde há militares norte-americanos, do Iraque ao Afeganistão.
A ementa é fixa: peru recheado com castanhas, aipo, cenoura e cebolas, ou passas e maçãs; puré de batata, milho, batata doce, legumes e ervilhas a acompanhar. O molho de frutos silvestres (cranberry) é outro clássico, assim como a tarte de abóbora. Há ainda outras tortas, como a de maçã e de nozes, e para beber, cidra de maçã, espumante ou vinho.

Paradas e celebrações mobilizam o país inteiro no primeiro feriado que inaugura a época festiva do Natal e Ano Novo

Paradas e celebrações mobilizam o país inteiro no primeiro feriado que inaugura a época festiva do Natal e Ano Novo

EDUARDO MUNOZ

Disseminada pela cultura popular e pelas séries de televisão, a data começou a ser celebrada noutros países - como o nosso. À semelhança do Halloween, que tem vindo a ganhar terreno fora dos EUA, também em Portugal a comunidade do Tio Sam não deixa a data passar em branco. Há dez anos que o Hard Rock Café de Lisboa organiza um menu para o Dia de Ação de Graças, segundo a orientação da casa-mãe nos EUA. Aliás, todos os Hard Rock Café da Europa cumprem esta recomendação. Esta quinta-feira 23 de novembro, o Hard Rock de Lisboa tinha 50 reservas para almoço e jantar de 'Thanksgiving', mas esperava chegar às 80 até final do dia. "Metade é de americanos que vivem cá, e metade de portugueses que têm curiosidade pela data e querem experimentar esta ementa", explica Idalina Elias, que ali trabalha há 4 anos. "Para os americanos, isto é quase como uma consoada", explica. Por 28,5€, a ementa inclui uma entrada de "corn chowder", uma sopa de milho, cebola, alho francês, manteiga e natas, a estrela principal, o peru recheado com o famoso molho de "cranberry", e a tarte de abóbora com chantilly.

No início, reza-se, agradece-se, e depois come-se. A essência do Thanksgiving é, em boa verdade, bastante universal.