Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Ministério Público pede 3 anos e 4 meses de pena suspensa para Carrilho 

ANTÓNIO PEDRO SANTOS / LUSA

O antigo ministro da Cultura já foi condenado a quatro anos e meio de prisão com pena suspensa noutro processo de violência doméstica contra Bárbara Guimarães

O Ministério Público (MP) pediu esta segunda-feira três anos e quatro meses de prisão, com pena suspensa, para Manuel Maria Carrilho pelo crime de violência doméstica contra a ex-mulher Bárbara Guimarães.

Nas alegações finais do julgamento, a procuradora Nadine Xarope considerou haver ainda perigo de continuação da atividade criminosa por parte do antigo ministro da Cultura, pelo que pediu ao tribunal a aplicação de uma pena acessória de proibição de contactos com a vítima pelo mesmo tempo da pena de prisão proposta.

Manuel Maria Carrilho foi condenado, em outubro passado, num outro processo, também por violência doméstica, a uma pena suspensa de quatro anos e meio de prisão e com a obrigação de frequentar um curso de combate à violência doméstica da Direção-Geral de Saúde.

Neste processo em causa estavam factos que remontam a 2014, já o casal estava separado. O antigo ministro, de 66 anos, entrou em casa de Bárbara Guimarães depois de o filho lhe ter dito que estava sozinho em casa com a irmã. Mas a apresentadora estava em casa com o namorado, o empresário Ernesto Neves, conhecido como Kiki Neves.

Deste processo faziam ainda parte outras queixas relacionadas com a entrega, para visitas, dos menores. Recorde-se que a guarda do filho mais velho do casal está entregue ao pai. Manuel Maria Carrilho pediu também a guarda da filha mais nova.