Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Centros de Saúde com mais solicitações para deixar de fumar

reuters

Número de fumadores que pedem ajuda para largar o vício tem vindo a aumentar. Só na região de Lisboa, nos primeiros seis meses do ano há registo de 2624 consultas de cessação tabágica

É uma excelente notícia: há mais fumadores a recorrerem aos cuidados primários à procura de ajuda para deixarem o cigarro. De janeiro a junho, centros de saúde e unidades de saúde familiar na região de Lisboa asseguraram 2624 consultas de apoio intensivo, 942 (35%) das quais primeiras abordagens.

Entre 2015 e 2016, as consultas intensivas aumentaram 12%, de 4226 para 4738, incluindo as consultas iniciais, com um crescimento de 9%, de 1254 para 1365. O número de unidades com apoio especializado a fumadores em tentativa de cessação tabágica também aumentou: de 24 para 32 locais, garantindo a oferta em todos os agrupamentos de centros de saúde da região.

Esta terça-feira é celebrado o Dia Europeu do Ex-Fumador e as autoridades de saúde nacionais recordam que “em Portugal morrem todos os anos mais de 11.000 pessoas por doenças provocadas ou agravadas pelo consumo de tabaco, das quais mais de 800 por doenças decorrentes da exposição ao fumo ambiental”. E alertam: “As pessoas fumadoras têm um risco de adoecer e morrer por doenças graves e incapacitantes duas a três vezes superior ao das pessoas que nunca fumaram, perdendo em média dez anos de expectativa potencial de vida.”